Alunos revivem memórias e aprendem sobre educação patrimonial na Casa de Bem Bem

Memórias afetivas são transformadoras. Transformaram em nostalgia positiva e conhecimento a visita técnica à Casa de Bem Bem para Edson Leite de Oliveira, de 14 anos. O passeio pelas histórias e memórias foi realizado na última quarta-feira (12), com organização da Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo.

Edson, que é estudante do 8º ano da Escola Manoel Cavalcante Proença, localizada no bairro Tijucal, enquanto caminhava com o colega pela obra em restauração, olhava as paredes da casa feitas de argila e lembrava.

“Lembra muito a casa dos meus avós em Cáceres. Hoje ela não existe mais, se desfez com o tempo e sem cuidado. A casa do meu avô era quase igual essa, feita de argila com taquaras que compactavam, mas o piso era só de barro mesmo. É uma lembrança ótima. Lembrar como era e saber que existem muitas casas do mesmo jeito”, comentou o garoto Edson.

O plano é que um grupo de 15 pessoas, da sociedade civil, de organizações governamentais e não governamentais, estudantes de escolas públicos e/ou privadas, da imprensa, ou seja, qualquer pessoa interessada em aprender sobre valorização do patrimônio histórico possa acompanhar as obras de restauração da Casa de Bem Bem.

“Eu nunca tinha visitado um centro histórico, esse é o primeiro que eu visito. É sempre bom você saber da história da sua cidade, porque a gente estuda sobre isso e acaba conhecendo a nossa própria história também”, disse o estudante João Victor, de 15 anos.  

A experiência da visita será compartilhada com os demais alunos da escol a em forma de apresentações de trabalhos sobre educação patrimonial e cultura cuiabana.

“A experiência de vivenciar in loco a história cuiabana, de imaginar como é que foi a vivência das pessoas que viveram aqui na Casa de Bem Bem, valoriza ainda mais a história e faz com que os alunos voltem pra escola com a sensação de que eles podem aprender mais, que o ensino não se limita somente a sala de aula, que ir até os lugares, conhecer, valoriza ainda mais a aprendizagem”, explicou a coordenadora da escola, Marcela Brito.  

A visita é sempre realizada em quatro etapas: introdução a história da Casa de Bem Bem, esclarecimentos sobre o projeto de restauração e transparência pública, recuperação arqueológica e obras de restauro da casa. As palestras campais serão ministradas por equipe técnica da Secretaria Municipal de Cultura, Governo do Estado e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), composta de arquitetos, arqueólogos e especialista em projetos e execução de restauração de patrimônio histórico.

“Essa visita técnica para nós, leigos, e eu me incluo nisso, é um enriquecimento de conhecimento muito grande, faz com que a gente valorize ainda mais o trabalho de arquitetos, restauradores, de quem luta para recuperar e proteger os patrimônios históricos, faz com que a gente desperte para investir mais neste setor e entenda o porquê da defesa de que patrimônios como este continuem em pé, funcionando. E desperta mais o amor por uma cidade que tem 300 anos, que tem uma história toda construída e que a gente não pode descartar sem respeitar toda sua história”, declarou o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo.

Para se inscrever, basta preencher o formulário com dados pessoais e entregar na Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo ou enviar para o email: alessandra.barbosa@cuiaba.mt.gov.br. Mais informações pelo telefone (65) 3617-1261.

Comentários Facebook