CST Faixa de Fronteira promove visita técnica ao aeroporto Marechal Rondon no dia 11

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

A Câmara Setorial Temática Faixa de Fronteira promove na próxima segunda-feira (11) uma visita técnica ao aeroporto Marechal Rondon. O objetivo é levantar informações sobre o processo de internacionalização do aeroporto, que será retomado tão logo o Consórcio Aeroeste assuma a administração do aeroporto no final do mês. A intenção é ouvir a atual administradora, a Infraero, a Receita Federal e outros órgãos que atuam no aeroporto, apressando soluções para a operação de voos diretos para Santa Cruz de La Sierra, na Bolíva, além de outros destinos na América do Sul. 

Para o deputado Carlos Avallone (PSDB), um dos autores da criação da CST ao lado dos deputados Valmir Moretto (Republicanos) e Dr. Gimenez (PV), a internacionalização efetiva do aeroporto é fundamental não só para o transporte de passageiros e o turismo, mas impacta positivamente toda a economia regional. 

“O transporte aéreo é um verdadeiro insumo produtivo de milhares de empresas para o deslocamento rápido de pessoas, carga e correspondência, entre outras utilidades. É um setor vinculado a toda uma cadeia produtiva que inclui os serviços disponíveis nos aeroportos, táxis e motoristas de aplicativos, rede hoteleira, fabricantes de aeronaves, distribuidores de combustível de aviação, escolas de formação de pilotos, etc. A credibilidade do funcionamento do sistema aéreo é fator imprescindível para os custos e riscos associados aos investimentos no estado e impulsiona o desenvolvimento regional”, explicou.
 
INTEGRAÇÃO

A CST Faixa de Fronteira tem a finalidade de propor alternativas para melhorar a qualidade de vida na região fronteiriça com a Bolívia e promover a integração com os países vizinhos. Na primeira reunião de trabalho da comissão, coordenada pelo presidente José Lacerda, foi apresentado um diagnóstico e um plano de trabalho para desenvolver o turismo na região fronteiriça, com participação dos 28 municípios mato-grossenses inseridos na chamada faixa de fronteira.

O empresário e ex-secretário estadual de Turismo, Jaime Okamura, membro da CST,  defende a busca de parceria com o Ministério do Turismo para reativar o programa “Turismo de Fronteiras” (Frontur), que teve início à época do Mundial de Futebol 2014 e depois foi abandonado.

Mas a prioridade neste momento será buscar solução para a internacionalização do aeroporto, que até o final do mês passará a ser administrado pelo consórcio Aeroeste, vencedor do leilão de concessão dos principais aeroportos de Mato Grosso (Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta). A gestão dos aeroportos ainda será assistida pela Infraero durante os 45 dias posteriores à transferência oficial do aeroporto à concessionária.

Segundo levantamentos preliminares da CST, o maior entrave para que a operação de voos internacionais está relacionado às medidas do espaço previsto para as instalações da Receita Federal – apenas nove metros quadrados a menos que o exigido pelo órgão. A CST deverá ouvir também o delegado da Receita Federal em Mato Grosso na perspectiva de uma solução rápida para o problema.
 

Comentários Facebook