Vereador Abilio pede abertura de comissão processante contra Toninho de Souza

Nesta quinta-feira (07-11), foi protocolado na Câmara de Vereadores de Cuiabá pedido de abertura de Comissão Processante contra o vereador Toninho de Souza (PSD). Apresentado pelo vereador Abilio Junior (PSC), o pedido deve ser votado pelos demais parlamentares na próxima terça-feira (12-11).
Constam como justificativas para o pedido, o tratamento reportado por Toninho a Abilio, durante as sessões do parlamento cuiabano. “O vereador Abilio tem direito de fiscalizar as unidades de saúde, mas primeiro ele precisa se tratar para entrar em uma UTI. Se vocês observaram, Abilio é ‘perebento’. Olhando as mãos dele há perebas. Ele é um risco de transmissão de doença”, disse Toninho, em abril deste ano. Na ocasião, Abilio e outros vereadores tinham feito uma visita e doação de insumos ao Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá.
Na mesma sessão, em outro momento, Toninho teria dito que Abilio estaria com “demônios” no corpo. “Mas o senhor tem que ir além, tem que trazer um pastor aqui com o poderio de expulsar demônios, porque esse vereador (Abilio), o comportamento dele não é normal. Este vereador tem demônios no corpo. Ele, que frequenta a igreja, nem a igreja aguenta o comportamento do vereador Abilio”, proferiu Toninho.
Além de Toninho, Abilio disse que está reunindo documentações que comprovam situações ocorridas em plenário e proferidas a ele de maneira ofensiva, violenta e desonrrosa. “Por mais ofensivo que me parecesse, entendia que eram formas de os colegas parlamentares defenderem seus pontos de vistas, assim como eu os fazia. Agora, a partir do momento que eles consideram que a minha postura de ataque, de manifestação de pensamento e ideologias são ofensivas e quebram o decoro do parlamento eles devem considerar o mesmo dos demais vereadores que me xingaram, que me agrediram, que feriram a minha honra e a minha fé”, argumentou Abilio.
Vereador de primeiro mandato, Abilio tem conquistado muitos apoiadores, especialmente pelas redes sociais. Segundo ele, esse seria um dos motivos de tamanho cerco a sua atuação parlamentar. Além disso, recentemente, o PSC colocou seu nome como um dos possíveis a disputar o pleito ao Chefe do Executivo. Tudo por conta da grande popularidade adquirida por Abilio pelas ruas de Cuiabá, em virtude da sua atuação fiscalizatória.
“Eles não respondem aos nossos requerimentos, não atendem às nossas indicações e proibiram a gente de entrar nas unidades de saúde. Eles estão fazendo de tudo para ‘boicotar’ nossa atuação. Mas quanto mais eles batem, quanto mais eles nos atacam ou tentam nos calar, mais certeza eu tenho de que estou fazendo o certo. Mais certeza eu tenho de que estou do lado certo. E não vou recuar, muito menos desistir. Se quiserem me caçar, que façam, mas vou lutar até o último dia do meu mandato”, defendeu Abilio.
Além de Toninho, Abilio deve apresentar, nas próximas sessões, pedidos de abertura de Comissão Processante contra os vereadores: Adevair Cabral (PSDB), Chico 2000 (PR), Juca do Guaraná (Avante) e Renivaldo Nascimento (PSDB).
CASSAÇÃO
Abilio responde a um pedido de cassação feito pelo seu suplente Oséas Machado. Mas acredita que não deve ser cassado, em razão de os objetos que foram aceitos como justificativas para tal cassação, serem os mesmos dos quais ele apresenta contra os demais cinco parlamentares.
“Se eles me cassarem, vão ter de cassar a eles próprios, já que praticaram as mesmas condutas feitas por mim, se formos analisar o pedido de cassação contra mim”, ponderou Abilio. “O parlamentar tem o direito de se expressar na tribuna, de emitir a opinião e, muitas vezes, essas manifestações são mais acaloradas”, completou.
“Se eles me cassarem por isso, também deverão sofrer o mesmo tratamento. A não ser que a Câmara dê dois pesos e duas medidas para situações da mesma natureza. Ficaria muito claro que estaria dando um peso para quem é da oposição e outro peso para quem é da base. Eu não acredito nisso”, avaliou Abilio.

Dana Campos | Assessoria Vereador Abílioo Junior

Imprimir Voltar Compartilhar:  

</div

Comentários Facebook