Politica MT

Após fechamento de hospital, Ulysses Moraes questiona destino de recursos da Covid-19

Publicados

em


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

Após o fechamento do Hospital Regional de Barra do Bugres, o deputado Ulysses Moraes cobrou transparência de onde estão sendo investidos os recursos para combate à Covid-19 no município. Vale destacar que, só de repasses do governo federal, a cidade de Barra do Bugres já recebeu R$ 5.953.963,19 e parte desse valor é exclusivo para combate ao coronavírus.

“Um hospital fechar em meio a uma pandemia é inacreditável. E o que me deixa mais intrigado é que o estado já recebeu mais de R$ 1,5 bilhão em repasses do governo federal, de março até julho, e boa parte disso é só para Covid-19. E o município de Barra do Bugres já recebeu mais de R$ 5 milhões e uma boa parte também é só para combate ao coronavírus. Precisamos saber para onde está indo esse dinheiro”, disse Moraes.

No início de junho deste ano, o parlamentar esteve em uma fiscalização nesse hospital e a situação por lá era precária. No local não havia leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e nem semileitos, por isso os pacientes estavam sendo encaminhados para Cuiabá.

Leia Também:  TSE: em pronunciamento, Barroso pede cuidado com pandemia e fake news

“Na fiscalização que fizemos, deu para notar que a cidade não tem a mínima estrutura para combater essa doença e nem existiam equipamentos adequados, mas a pergunta que fica é: onde está sendo investido esse dinheiro? Nunca antes veio tanto recurso para saúde e agora tem hospital fechado em meio a uma pandemia. Precisamos ficar de olho em cada centavo”, pontuou o deputado.

O Hospital Regional de Barra do Bugres era administrado por um Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Municípios da região. O convênio com o estado de Mato Grosso venceu no dia 31 de maio de 2020 e foi renovado até 27 de julho. Mas, com o fechamento do hospital, a gestão da unidade voltou para o governo do estado.

“Fiz um requerimento de informações e os gestores municipais vão ter que me explicar onde foi gasto cada centavo desse repasse do governo federal. As cidades de Mato Grosso, de maneira geral, precisam ter mais transparência com a aplicação desse dinheiro. São milhões em recursos, por isso vamos fiscalizar tudo”, finalizou o parlamentar.

Leia Também:  Governos de MT e Federal lançam programa de aquisição de alimentos com investimentos de R$ 10,6 milhões
Comentários Facebook

Brasil

Governos de MT e Federal lançam programa de aquisição de alimentos com investimentos de R$ 10,6 milhões

Publicados

em

O Governo de Mato Grosso lançou nesta segunda-feira (28.09) o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), com a presença do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. O evento realizado no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, formalizou a liberação de recursos na ordem de R$ 10,6 milhões pelo Ministério da Cidadania a serem investidos na compra de itens alimentícios produzidos por produtores familiares, cooperativas e associações.

Dividido em duas etapas, o PAA nesse primeiro momento irá beneficiar cerca de 520 produtores, de 35 cidades mato-grossenses, através da compra de 800 toneladas de alimentos. A lista de itens a serem adquiridos com recursos do programa é formada por 89 produtos, que além de frutas, verduras e legumes, é composta também por carnes de frango e suína, castanha-do-pará, mel, polpa de frutas, dentre outros. Cada agricultor familiar poderá comercializar por ano até R$ 6,5 mil em produtos, e os alimentos servirão para abastecer hospitais públicos, creches, escolas e entidades filantrópicas, como asilos e centros de Referência de Assistência Social (CRAS).

Leia Também:  Governos de MT e Federal lançam programa de aquisição de alimentos com investimentos de R$ 10,6 milhões

“Esse programa atenderá milhares de agricultores familiares. Em 2021, vamos dobrar esse recurso que o Governo Federal está colocando. Colocaremos recursos do Governo do Estado porque compreendemos a amplitude e, acima de tudo, o resultado que esse programa vai dar. Vamos destinar alimentos para a nossa rede de assistência, para instituições que prestam essa assistência aos mais vulneráveis. Assim como também ampliar a aquisição, contemplando a nossa merenda escolar e tantas outras responsabilidades que o Estado de Mato Grosso tem nessa área”, afirmou Mendes.

O ministro Onyx Lorenzoni destacou a importância da parceria entre o Estado e União, e a classificou como fundamental para garantir a segurança alimentar dos mato-grossenses, principalmente aqueles mais vulneráveis. “O PAA, e tantas outras ações do governo federal, como o auxílio emergencial, é um exemplo de proteção social implementada pelo Ministério da Cidadania, com o propósito de reduzir os impactos da pandemia em todo o país”, relatou o ministro.

A secretaria responsável por fazer a gestão do PAA em Mato Grosso será a de Agricultura Familiar (Seaf), e segundo o titular da pasta, Silvano Amaral, a compra dos itens produzidos por cooperativas e associações será feita pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que será o órgão responsável por fazer essa transação via pessoa jurídica.

Leia Também:  TSE: em pronunciamento, Barroso pede cuidado com pandemia e fake news

“Já a compra por pessoa física, aquela direta com o produtor, passará pelo Estado”, explica Silvano Amaral.

A secretaria responsável por fazer a gestão do PAA em Mato Grosso será a de Agricultura Familiar (Seaf).
Créditos: Michel Alvim- Secom

O programa

O programa tem como objetivo atender famílias em situação de vulnerabilidade social e em estado de insegurança alimentar e nutricional, por meio da distribuição de alimentos adquiridos de agricultores familiares.

O programa também fortalece o setor produtivo local, garantindo o escoamento da produção através da compra a preço justo de fornecedores prioritariamente agrupados em organizações fornecedoras e/ou inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais – CadÚnico.

Comentários Facebook
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

POLÍTICA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA