Destaque

Sintep avisa que sem vacina professores não voltam e vão entrar em greve

Os professores e demais trabalhadores da rede estadual de ensino de Mato Grosso devem realizar uma “greve sanitária” contra a decisão do Governo do Estado de retonar às aulas e outras atividades presenciais no próximo dia 8 de fevereiro.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Valdeir Pereira, disse que a categoria vai se reunir ainda nesta semana para tratar disso.

“Enquanto não tenha uma segurança, não tem como retornar à sala de aula. Considerando, inclusive, o que aconteceu com outros países que retornaram as atividades presenciais e, logo em seguida, tiveram de suspender, porque a taxa de contágio [da covid] aumentou muito”, pontuou.

A greve foi cogitada logo após a última reunião dos representantes da categoria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) sobre as medidas de biossegurança para retornar às atividades presenciais.

O Sintep reuniu os trabalhadores que deixaram claro que “não há nenhuma medida de biossegurança de retorno às atividades, se não tiver a vacina aliada às medidas sanitárias dentro das escolas”.

Leia Também:  Primeiros sete profissionais da saúde cuiabanos são vacinados contra a Covid-19

“A covid-19 não é uma gripezinha, é uma doença letal: Ela mata. Então, a gente entende o processo de educação, mas a prioridade agora é preservar as vidas”, concluiu.

Fonte: Repórter MT

Comentários Facebook

Destaque

Polícia recebe novas informações e checa possível paradeiro do menino Samuel

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) realizou nesta semana diligência para averiguar mais uma informação sobre o possível paradeiro do garoto Samuel Victor Carvalho, desaparecido desde outubro de 2019.

A partir de informações recebidas de Campo Grande (MS), a equipe da DEDM de Rondonópolis passou a apurar os fatos e solicitou apoio da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, que realizou diligências in loco para a verificação do endereço levantado.

No entanto, após a checagem, foi constatado que a informação não procedia e não se tratava do menino desaparecido em Rondonópolis.

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Rondonópolis informa que o inquérito policial sobre o caso continua em andamento. Nas investigações foram ouvidas diversas testemunhas sobre os fatos, incluindo vizinhos, familiares, conhecidos da igreja que a vítima frequentava, profissionais da escola onde o menor estudava.

Também foram realizadas medidas de Polícia Judiciária na tentativa de esclarecer os fatos, contudo até o presente momento não existem indícios da prática de outros crimes, portanto, a Delegacia da Mulher continua trabalhando com a hipótese de desaparecimento.

Leia Também:  Primeira-dama beneficia mais de 900 famílias com doações de cestas básicas e cobertores

Todas as informações e denúncias em relação ao caso que chegam à delegacia são investigadas e checadas.

A Polícia Civil continua trabalhando no caso e conta com apoio da população com novas informações que possam auxiliar nas investigações. As denúncias podem ser feitas através do 197, ou pelo 66) 3423-1754 e através whatsapp (66) 9 9937-5462.

Comentários Facebook
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

POLÍTICA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA