Agricultura

Empaer realiza 94 mil atendimentos e viabiliza R$ 82 milhões em projetos de crédito para agricultura familiar

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) realizou 94.737 atendimentos para um público de 39.360 beneficiários em 132 municípios do Estado, entre pequenos, médios agricultores e outros, no período de janeiro a novembro de 2020. Foram financiados recursos na ordem de R$ 82 milhões para investimento e custeio, nas linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Na área da pesquisa foram implantadas 37 Unidades de Referencia Tecnológica.

O relatório de atividades mostra que foram emitidas 10.338 Declarações de Aptidão do Pronaf. Foram elaborados 1.345 projetos técnicos para captação de crédito de investimento e custeio nas linhas do Pronaf e FCO e outras linhas de crédito. Os técnicos da empresa viabilizaram a captação de recursos para os produtores rurais na ordem de R$ 82.445.829,70 oriundos da contratação de 990 projetos de crédito em 132 municípios.

João de Melo | Empaer

Loffi destaca que o papel estratégico da empresa é incentivar o desenvolvimento rural e difundir novas tecnologias

As ações de prestação de serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) desenvolvidas resultaram em 94.737 atendimentos prestados para um público de 18.893 agricultores tradicionais, 18.070 agricultores assentados, 439 indígenas, 217 pescadores artesanais e 31 quilombolas, totalizando 37.650 agricultores familiares, 453 médios e grandes produtores, 974 mulheres e jovens urbanos e 283 entidades.

O presidente da Empaer, Renaldo Loffi, fala que do total de beneficiários, 96% são agricultores familiares, o que evidencia uma atuação de maneira preferencial e prioritária frente ao segmento da agricultura familiar, sendo atendidas aproximadamente 27.462 famílias, beneficiando 37.650 agricultores, o que corresponde ao atendimento de aproximadamente 25% das famílias de agricultores familiares existentes no estado.

De acordo com o presidente, a Empaer disponibiliza os serviços de Ater, Pesquisa e Fomento Agropecuário, por meio de 129 escritórios municipais, três escritórios distritais, nove escritórios regionais, seis campos experimentais, quatro viveiros de produção, três centros regionais de pesquisa e um escritório central. Toda essa estrutura conta com uma força de trabalho de 630 funcionários. “O papel estratégico da empresa é incentivar o desenvolvimento rural e difundir novas tecnologias para os pequenos e médios produtores, a fim de gerar e garantir o desenvolvimento econômico das famílias rurais”, destaca.

João de Melo | Empaer

A pesquisa desenvolvida é voltada prioritariamente para a agricultura familiar

Atendimento Digital

Leia Também:  Força Tática recupera carreta e prende suspeito por receptação

Conforme Loffi, para facilitar o acesso da informação pelo produtor e pela sociedade em geral a empresa lançou a primeira versão de um aplicativo com objetivo de levar tecnologia ao campo e tornar o contato com o técnico da Empaer mais fácil e rápido. Essa versão do aplicativo ainda é de uso exclusivo interno para coletar dados dos produtores rurais. Essa ferramenta estará interligada com o Sistema de Acompanhamento e Gerenciamento das Atividades da Empaer, o Sagae, que já é utilizado via web pelos técnicos da empresa para cadastrar as informações dos serviços prestados ao público alvo, além de avaliar o ganho social dos produtores rurais e o trabalho executado pelos técnicos.

Ele explica que o Sagae foi desenvolvido no ano de 2019 e, ao todo, já foram cadastrados mais de 35 mil produtores em 128 municípios do Estado. Segundo Renaldo, com a segunda fase do aplicativo em funcionamento o produtor poderá tirar dúvidas sobre assuntos diversos, como crédito rural e administração da propriedade, obter informações técnicas sobre culturas e criações e solicitar visitas para atendimento in loco na propriedade rural. Além dos produtores, moradores urbanos, feirantes, diretores de escolas, ou qualquer outra pessoa que tenha alguma dúvida relacionada ao trabalho rural também poderá entrar em contato para obter orientação. Tudo isso diretamente pelo celular.

Christiano Antonuci | Secom

Toda essa estrutura conta com uma força de trabalho de 630 funcionários

Transferência de tecnologia

Os Projetos de Pesquisa vêm sendo executadas, em sua maioria, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat). A pesquisa desenvolvida pela Empaer é voltada prioritariamente para a agricultura familiar e tem como objetivo gerar conhecimento e tecnologia com a finalidade de fomentar e diversificar a produção no Estado. Em 2020, contabilizou a implantação de 37 Unidades Tecnológicas, 19 experimentos de pesquisa e 18 unidades de validação com as culturas do arroz, feijão, trigo, banana, grão de bico, espécies de flores tropicais e ornamentais, frutos de clima temperado, produtos biofortificados, aproveitamento de resíduos da indústria de gelatina para a agricultura e outros.

Na Estação de Piscicultura, localizada no município de Nossa Senhora do Livramento, foram produzidos 301.821 alevinos para recria e engorda. Foram destinados a 181 produtores de 13 municípios do estado, disponibilizando toda a tecnologia de reprodução das espécies tambacu, tambatinga e tambaqui para os piscicultores do Vale do Rio Cuiabá e regiões. Para o reflorestamento, recuperação de áreas degradadas, matas ciliares e formação de pomares foram produzidas 55.949 mudas de plantas nativas, frutíferas e ornamentais.

Leia Também:  Contribuinte pode juntar documentos para declarar Imposto de Renda

No Núcleo de Laboratórios foram realizadas 46.556 análises laboratoriais, solo, nutrição animal, fitopatologia, disponibilizando os serviços para 2.039 agricultores de 121 municípios. “O objetivo dos resultados dos trabalhos de pesquisa é gerar conhecimento e tecnologia para a agricultura familiar com a finalidade de fomentar e diversificar a produção no Estado”, enfatiza.

João de Melo | Empaer

Foram produzidos 301.821 alevinos para recria e engorda

Programa REM

Para atender 33 municípios do Estado na atividade produtiva visando a redução do desmatamento e fortalecimento das cadeias produtivas, a Empaer recebeu 58 novos veículos e 347 equipamentos de informática. São 22 caminhonetes e 36 veículos (hatch) locados com recursos do Programa REED+For Early Movers (REM), viabilizados pelos governos da Alemanha e Reino Unido.

A Empaer vai prestar atendimento a 5.750 agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais e pequenos e médios produtores. Em um período de um ano serão executados dois subprogramas do REM, um para atender 3.350 agricultores familiares nas cadeias produtivas da pecuária leiteira, fruticultura (banana e citrus) e culturas perenes (cacau e café), e o outro para atender 2.400 pequenos e médios produtores que desenvolvem a atividade da pecuária de corte e na modalidade cria de bezerros.

Os técnicos da Empaer serão responsáveis pela assistência técnica contínua e a implantação de boas práticas nas cadeias produtivas. O programa REM em Mato Grosso prevê que recursos serão repassados para estruturação e apoio as atividades de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) em contrapartida ao cumprimento de metas de redução de desmatamento no Estado. Os repasses são realizados anualmente e a gerência financeira desses recursos fica a cargo do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio).

Plano de Demissão Voluntária (PDV)

Como medida de reestruturação da Empaer, Loffi fala que o Plano de Demissão Voluntária (PDV) foi aprovado e será realizado neste ano de 2021. Segundo ele, estão aptos a adesão em torno de 280 servidores. O plano é uma medida para enxugar os gastos e tornar a Empaer mais eficiente, e ao mesmo tempo valorizar os funcionários que se dedicaram ao desenvolvimento da agricultura familiar no Estado de Mato Grosso.

Comentários Facebook

Agricultura

Abate de suínos e frangos cresceu no quarto trimestre de 2020

Os primeiros resultados da produção animal no quarto trimestre de 2020 mostram que o abate de bovinos caiu 10,3%, o de suínos aumentou 1,6% e o de frangos teve alta de 5,5% em relação ao mesmo trimestre de 2019.

Os dados são da Estatística da Produção Pecuária: Primeiros Resultados, divulgada hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o terceiro trimestre de 2020, o abate de bovinos e suínos caiu 5,8% e 4,7%, respectivamente, e o de frangos cresceu 2,5%.

Abate de bovinos

No quarto trimestre de 2020, foram abatidas 7,25 milhões de cabeças de bovinos, 10,3% a menos em comparação ao mesmo período de 2019 e uma redução de 5,8% em relação ao terceiro trimestre de 2020.

A produção de 1,96 milhão de toneladas de carcaças bovinas mostra queda de 6,5% em relação ao quarto trimestre de 2019 e diminuição de 4,6% em relação ao terceiro trimestre de 2020.

Abate de suínos e de frangos

Já o abate de suínos somou 12,10 milhões de cabeças no quarto trimestre de 2020, representando um aumento de 1,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior e queda de 4,7% em comparação ao terceiro trimestre de 2020. O peso acumulado das carcaças registrou 1,08 milhão de toneladas, aumento de 1,7% em relação ao quarto trimestre de 2019 e queda de 7,8% em comparação com o trimestre anterior.

Leia Também:  Quatro novos Ecopontos serão entregues e começam a funcionar em março

Foram abatidas 1,55 bilhão de cabeças de frango, aumento de 5,5% em relação ao quarto trimestre de 2019 e acréscimo de 2,5% na comparação com o terceiro trimestre de 2020. Já o peso acumulado das carcaças foi de 3,57 milhões de toneladas, aumento de 5,2% em relação ao quarto trimestre de 2019 e de 2,5% frente ao trimestre imediatamente anterior.

Aquisição de leite

A aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal) foi de 6,71 bilhões de litros. O resultado mostra um aumento de 0,6% em comparação ao registrado no quarto trimestre de 2019 e um incremento de 4,1% em comparação ao terceiro trimestre de 2020.

Ovos de galinha

A produção de ovos de galinha foi de 977 milhões de dúzias no quarto trimestre de 2020, uma queda de 1,5% em relação ao mesmo período do ano anterior e uma retração de 3,4% em comparação ao terceiro trimestre de 2020.

Leia Também:  Arrecadação de impostos em janeiro somou R$ 180,221 bilhões

Couro

Os curtumes declararam ter recebido 7,5 milhões de peças inteiras de couro cru no quarto trimestre de 2020, queda de 3,9% em comparação ao quarto trimestre de 2019 e diminuição de 8,5% em relação ao trimestre anterior. A Pesquisa Trimestral do Couro investiga os curtumes que efetuam curtimento de pelo menos 5 mil unidades inteiras de couro cru bovino por ano.

Comentários Facebook
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

POLÍTICA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA