Destaque

Seplag divulga PIB dos municípios de Mato Grosso

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MT) divulga em seu portal, à disposição do público, o relatório e as estimativas referentes ao Produto Interno Bruto dos municípios mato-grossenses – PIB dos Municípios 2018.

Devido a metodologia de trabalho que deriva de outras pesquisas estruturais e coletas de informações, os resultados ficam prontos e são divulgados com defasagem de dois anos em relação ao ano de referência, da mesma forma que o PIB Regional.

O PIB funciona como um importante termômetro da economia e ajuda a entender a movimentação econômica de numa região. Por exemplo, quando o PIB aumenta é sinal que a economia está indo bem, que as taxas de desemprego diminuíram e que a população da região está com maior capacidade de compra.

A Seplag, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulga anualmente as estimativas do PIB dos Municípios. Os resultados são comparáveis entre si e estão completamente integrados às séries das Contas Nacionais e das Contas Regionais do Brasil.

“Os resultados permitem traçar o perfil econômico e setorial para cada município do Estado e as informações são essenciais ao planejamento público e privado, formulação de políticas públicas e fixação de objetivos e metas perante o crescimento e desenvolvimento regional”, destacou o secretário-adjunto de Planejamento e Gestão de Políticas Públicas da Seplag, Sandro Brandão.

Leia Também:  Polícia realiza oitivas de familiares e pacientes atendidos por hospital de Cuiabá

Diferente das Contas Regionais, o PIB dos Municípios não fornece taxas de crescimento, mas torna disponível informações relevantes como o PIB nominal, pela ótica da produção; o PIB per capita; o Valor Adicionado Bruto (VAB), por grandes grupos de atividades; e participações do PIB e VAB.

O relatório é apresentado em níveis: agropecuária, indústria, serviços, administração pública, impostos líquidos, PIB e PIB per capita.

Para ter acesso ao relatório PIB dos Municípios 2018, clique AQUI.

Fonte: Assessoria | Seplag-MT

Foto: Arquivo – GCOM Prefeitura de Rondonópolis

Comentários Facebook

Destaque

Mato Grosso sobe no ranking da mineração no Brasil

Mato Grosso tornou-se em 2020 o primeiro estado do Brasil em requerimentos minerais e é o sexto com maior produção mineral do país. O presidente da Empresa Mato-grossense de Mineração (Metamat), Juliano Jorge Boraczynski, disse em entrevista à rádio CBN, de Cuiabá, que este é o reflexo da grande procura por minérios.

“A busca de empresários de outros estados é muito grande pelo solo mato-grossense. Aqui temos zinco, fosfato, cobre e ouro e, por isso, a continuidade do trabalho da Metamat é muito importante”, afirmou Juliano Jorge.

Ele salientou ainda que há um trabalho forte das empresas e cooperativas garimpeiras em busca da sustentabilidade da atividade especialmente na região Norte de Mato Grosso.

“Antigamente, o garimpo fazia um ‘estrago’ na região, mas hoje é feito um furo por perfuratriz para extrair os minérios”, disse, citando o exemplo da Cooperativa dos Garimpeiros do Vale do Rio Peixoto (Coogavepe), em Peixoto de Azevedo, que é a sexta maior em extração de ouro.

Leia Também:  Mato Grosso recebe 85.050 doses de vacina nesta sexta-feira (16)

Os investimentos na mineração em Mato Grosso podem aumentar ainda mais com a organização da logística na região garimpeira. “Existe o projeto da ferrovia Ferrogrão ir até Lucas do Rio Verde e porque não pensarmos em um ramal até Juína ou Juara, onde há 55 milhões de toneladas de minério de ferro para transportar, assim como o transporte de zinco da Nexa, em Aripuanã?”, questionou otimista.

Além do trabalho de fomento à atividade mineradora, a Metamat começou a desenvolver no último ano um importante trabalho social. Foi assinado um termo de cooperação junto à Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para auxiliar os municípios que sofrem com falta de água potável.

“Começamos um trabalho de perfuração de poços artesianos ou poços tubulantes profundos. Desde 2019, já foram perfurados 40 poços e 40 poços profundos, mais de 9,5km de perfuração”, explica Juliano Jorge.

O presidente da Metamat revelou que está em processo de compra de uma perfuratriz para agilizar o processo e atender ainda mais comunidades rurais e assentamentos. “O último levantamento que tivemos acesso, de 2015, mostrava que 60 mil pessoas não tinham água potável no estado, mas acredito que seja mais que isso. Imagina não ter água para fazer comida ou tomar banho? É um trabalho essencial o que estamos fazendo”, reforçou.

Leia Também:  Mato Grosso registra 341.074 casos e 8.997 óbitos por Covid-19

Juliano Jorge salientou que, por meio de emendas parlamentares, a empresa está conseguindo avançar nas perfurações e também em um estudo da mineração no estado. “Vamos fazer um termo de cooperação com a Universidade Federal de Mato Grosso para um mapeamento da mineração no estado e dos distritos mineiros, direcionados à exploração de recursos hídricos e pesquisas de rochas para insumos agrícolas.

A Metamat completa 50 anos em 2021 e tem um amplo serviço prestado à Mato Grosso. Na gestão do governador Mauro Mendes, houve gestão das atividades e de colaboradores, com enxugamento de 60% da folha de pagamento.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA