Politica MT

ALMT e Aprosoja firmam parceria para distribuição de cestas básicas a famílias carentes


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso e a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) oficializaram, nesta segunda-feira (13), a assinatura de um termo de fomento para distribuição de cestas básicas a famílias de baixa renda do estado. A meta é arrecadar 100 mil cestas básicas que serão distribuídas nos 141 municípios mato-grossenses.

O primeiro-secretário da ALMT, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), agradeceu à Aprosoja pela parceria e destacou a relevância da medida para minimizar as dificuldades enfrentadas pela população carente do estado, potencializadas durante a pandemia da Covid-19. “Essa parceria é muito importante para ajudarmos quem precisa e esperamos que continue por muito tempo”, declarou, durante solenidade de assinatura do documento.

A Aprosoja fará a arrecadação de cestas básicas junto aos produtores rurais associados, por meio do Programa Agrosolidário e a cada cesta angariada, a Assembleia Legislativa doará outra. A distribuição das cestas ficará sob responsabilidade da instituição e, conforme a deputada estadual Janaina Riva (MDB), será feita de forma técnica.

Leia Também:  Profissionais da Saúde agradecem Wilson Santos por projeto pró-canabidiol

“Não haverá condução política na distribuição das cestas básicas. É um trabalho realmente para ajudar a combater a fome no estado, capitaneado pela ALMT, com a parceria da Aprosoja e de todos os produtores mato-grossenses. Serão beneficiadas pessoas que já estão cadastradas em programas sociais. Instituições filantrópicas e igrejas que quiserem fazer solicitações, deverão procurar a Aprosoja, que avaliará cada situação”, disse a parlamentar, que ocupa a segunda-secretaria da Casa de Leis.

Fernando Cadore, presidente da Aprosoja, destacou o compromisso da entidade com a população do estado e a colocou à disposição da Assembleia Legislativa para futuras parcerias. “O Agrosolidário [programa] existe há mais de dez anos e agora estamos junto com a Assembleia com o intuito de distribuir cestas básicas. Sabemos que esse é um pequeno passo para ajudar as pessoas que tanto precisam e a Aprosoja é parceira do estado para ajudar quem precisa”, declarou.

Ações da ALMT durante a pandemia

Na ocasião, o deputado Eduardo Botelho lembrou que esta é mais uma das diversas ações realizadas pela Assembleia Legislativa com o intuito de minimizar as consequências geradas pela pandemia do novo coronavírus em todo o estado.

Leia Também:  Comissão de Educação aprova projeto que reconhece interesse turístico Parque de Chapada dos Guimarães

Entre as principais, o parlamentar citou a instalação de postos de vacinação contra a covid-19 em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Tangará da Serra; a doação de 100 cilindros de oxigênio à Secretaria Estadual de Saúde, feita pela concessionária de energia Energisa, atendendo à solicitação do Observatório Socioeconômico da Assembleia Legislativa; e a aprovação do projeto que estabelece a constituição de Fundo de Aval para apoio das atividades econômicas impactadas pela pandemia.

“A Assembleia Legislativa está presente desde o início dessa pandemia. É muito importante para nós podermos ajudar e continuaremos fazendo isso”.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook

Politica MT

Projeto de lei institui a “hora do colinho” na saúde pública mato-grossense


O tempo de “colo” mostra melhoria de indicadores como tempo de sono e ganho de peso

Foto: Ronaldo Mazza / Secretaria de Comunicação Social

Dr. Gimenez explica que o mesmo projeto foi implantado com sucesso no estado da Paraíba

Foto: MARCOS LOPES / ALMT

O Projeto de Lei nº 990/2021, de autoria do deputado estadual Dr. Gimenez (PV), institui a “hora do colinho” na rede de saúde pública de Mato Grosso. O objetivo é oferecer acolhimento afetivo a bebês recém-nascidos órfãos ou que por algum motivo estejam privados da presença materna durante a hospitalização.  

Conforme o parlamentar, o projeto será implementado por meio do Protocolo Operacional Padrão (POP), oferecido pela equipe multiprofissional competente. Poderão participar profissionais treinados pelas unidades hospitalares cadastrados ao projeto.  

“Após tantos anos trabalhando com crianças, posso dizer que, sem sombra de dúvida, o amor cura, pois a resposta do bebê será muito positiva ao tratamento depois desse momento de relaxamento proporcionado pela equipe de profissionais. A humanização ajuda a diminuir o estresse e reduz as sensações de eventuais dores”.  

Leia Também:  Profissionais da Saúde agradecem Wilson Santos por projeto pró-canabidiol

A orientação é que o governo estadual faça convênio com os municípios para a efetivação do POP, ampliando a abrangência para a rede municipal de saúde. Além de capacitação, essas unidades poderão criar uma sala específica, tecnicamente preparada e apta com ambiente silencioso, acolhedor e conforto para a recepção dos bebês recém-nascidos órfãos.

Os estabelecimentos de saúde que adotarem o projeto “hora do colinho” estarão autorizados a firmar convênios público-privados locais, nacionais ou internacionais de capacitação, treinamento, divulgação, publicidade e cooperação técnica pertinente ao uso do Protocolo.

Dr. Gimenez explica que Mato Grosso seria um dos pioneiros na implantação da proposta que vem sendo estudada pelo Ministério da Saúde para uso via Sistema Único de Saúde (SUS). “Muitas crianças ficaram órfãs durante a pandemia, o que nos sensibilizou muito e então veio a ideia de criar o projeto, afinal, a mão que cuida também é o colo que acalenta”.

Ele explica que o tempo de colo deve ser ajustado de acordo com a demanda do bebê. A técnica aprimora a respiração e promove a expansão da caixa torácica do recém-nascido, auxiliando o funcionamento do intestino e do estômago. 

Leia Também:  Deputado cobra o aumento de vagas no período noturno nas escolas

“Nós avaliamos os dados preliminares da Maternidade Frei Damião, na Paraíba, onde esse projeto já foi implementado com muito sucesso e é realmente animador observar que de fato o tempo de “colo” mostra melhoria de indicadores como tempo de sono e ganho de peso, além da redução do refluxo e do tempo de internação”.  

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA