APROSOJA

Aprosoja Mato Grosso recebe apoio por posicionamento contrário ao tabelamento do frete

Fortalecimento Institucional

Aprosoja Mato Grosso recebe apoio por posicionamento contrário ao tabelamento do frete

Setor e sociedade podem sofrer prejuízos caso Medida Provisória seja aprovada


Rodrigo Moreira/Ascom Aprosoja

06/07/2018

O posicionamento da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) contrário à Medida Provisória (MP) 832, que estabelece preço mínimo para o frete rodoviário, tem recebido diversas manifestações de apoio. A MP foi aprovada na comissão mista na tarde de quarta-feira (04) e pode ser votada pelo plenário da Câmara dos Deputados.
 
O diretor-geral da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), Sérgio Mendes, reforçou a importância do presidente da Aprosoja, Antonio Galvan, vir a público reiterar a contrariedade em relação à MP. Segundo Mendes, Galvan se colocou como um porta-voz da cadeia produtiva.
 
“Acredito que agora, juntos, nessa linha, conseguiremos sensibilizar o Supremo no julgamento que se avizinha”, afirmou em nota.
 
O presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), André Nassar, também parabenizou o presidente da Aprosoja que chegou a declarar que, caso o tabelamento seja aprovado por meio da MP 832, o produtor também terá que cruzar os braços, pois a produção ficará inviabilizada. 
 
Para as entidades do setor, o tabelamento de frete trouxe danos irreparáveis para a comercialização da safra 2017/18. Hoje a Aprosoja possui mais de 5.300 associados e aponta que somente nesta safra foram produzidas 32,5 milhões de toneladas de soja e estimativa de 26,3 milhões de toneladas de milho. 
 
“Demos apoio à greve em maio, mas condicionado a reduzir custos operacionais, pois entendemos que seria benéfico tanto para nós produtores quanto para os motoristas. Quando percebemos, eles estavam em busca, única e exclusivamente, de resolver o problema deles: o tabelamento do frete, medida a qual sempre fomos contrários. É um absurdo o Governo intervir na iniciativa privada, querendo oferecer lucratividade a um setor de forma tão exagerada. Isso nós não podemos admitir”, afirma o presidente da Aprosoja.
 
De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o tabelamento fará com que as famílias brasileiras percam seu poder de compra, já que, segundo levantamento da entidade, em 2018 o governo federal elevou o salário mínimo para R$ 954, um aumento de R$ 7, enquanto o tabelamento do frete deverá aumentar o custo da cesta básica de alimentos em mais de R$ 53,00.
 
“Temos uma safra pela frente, o problema agora não é mais do produtor e sim de toda sociedade, pois se tivermos uma redução da produção por consequência do tabelamento do frete, corremos o risco de colocarmos em cheque nossa segurança alimentar, e mais uma vez a população pagará a conta”, afirma Galvan.
 

Fonte: Ascom Aprosoja


Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215

Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Comentários Facebook

APROSOJA

Soja mato-grossense será reconhecida como sustentável por meio de programa da Aprosoja

Fortalecimento Institucional

Soja mato-grossense será reconhecida como sustentável por meio de programa da Aprosoja

Em missão na Europa, comitiva aprova pontos para que Soja Plus seja certificador da procedência dos grãos do Estado


28/11/2018

Em breve, os produtores rurais de Mato Grosso que participam do programa Soja Plus serão reconhecidos formalmente pela Europa como sustentáveis. Em reunião em Bruxelas, na Bélgica, na última quarta (21), o benchmarking do Soja Plus foi aprovado junto à Federação Europeia dos Fabricantes de Rações (Fefac) fazendo com que ele possa ser submetido à plataforma ITC.

“Desta forma, conseguiremos com que o programa Soja Plus seja uma espécie de certificação de sustentabilidade da soja mato-grossense. É um passo importante para os agricultores do Estado, que produzem soja e milho obedecendo rigorosas leis ambientais e trabalhistas”, afirma Antonio Galvan, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja).

Em janeiro de 2017, foi assinado em Lisboa (Portugal) um Memorando de Entendimento (MoU, na sigla em inglês) entre a Aprosoja, a Fefac, a Associação Brasileira de Indústria de Óleos Vegetais (Abiove), a Federação Europeia de Óleo Vegetal e Proteínas (Fediol) e a Iniciativa para Comércio Sustentável (IDH). O documento reconheceu o programa Soja Plus como o caminho mais adequado para se reconhecer que a soja mato-grossense é sustentável.

Durante a viagem à Europa, a comitiva brasileira também se reuniu com autoridades políticas da União Europeia. Houve reunião na Embaixada Brasileira em Bruxelas e também no Parlamento Europeu. O objetivo era apresentar aos europeus como a soja é produzida em Mato Grosso. No discurso, o presidente da Aprosoja pediu respeito ao Brasil e ao agricultor brasileiro.

“Aparentemente, sustentabilidade para os europeus é não desmatar, nem desflorestar. E o conceito é muito mais amplo. Deixamos claro que no Brasil trabalhamos com leis rígidas e seguimos o que está definido nelas. Na legislação brasileira, há a possiblidade de desmatamento legal e ainda há muitos estados novos que estão crescendo e precisarão desta área. Nós temos soberania”, frisou Galvan.

O representante da associação acredita que, muito além da sustentabilidade, o interesse da Europa é comercial. “As organizações não-governamentais (ONGs), fomentadas pelos grandes varejistas, levam uma informação distorcida do Brasil para a Europa e, com isso, fazem pressão para que os preços sejam interessantes para eles”, contou. Em outras duas reuniões, em Paris e em Berlim, o contato foi com representantes de indústria de reações, associados da Fefac.

Soja Plus – Desenvolvido em 2011, por iniciativa da Aprosoja, o Soja Plus tem por finalidade a melhoria contínua das condições sociais, de trabalho e ambiental nas fazendas produtoras de soja. Até hoje, foram realizados 240 cursos da Norma Regulamentadora 31, que trata da qualidade de vida no trabalho, e é o pontapé inicial para a entrada no Soja Plus. Até o final do ano de 2018, serão mais de 3600 pessoas capacitadas. São mais de 1200 propriedades que fazem parte do Soja Plus em Mato Grosso.

Participaram da missão na Europa também o vice-presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, o delegado por Sorriso, Thiago Stefanello, o diretor executivo, Wellington Andrade, a gerente de Sustentabilidade, Marlene Lima, o senador José Medeiros, o consultor técnico, Wanderlei Dias Guerra, e o diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro, Raimundo Deusdara Filho.

 

Fonte: Ascom Aprosoja


Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215

Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA