Brasil

Barco-hotel naufraga no Pantanal e deixa pelo menos seis mortos

Um barco-hotel que navegava pelo Rio Paraguai, na altura da cidade de Corumbá (MS), no Pantanal, naufragou ontem (15), durante um vendaval deixando mortos e desaparecidos.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso do Sul (CBMMS), sete pessoas ficaram submersas após o naufrágio. O Corpo de Bombeiros encontrou seis corpos de pessoas que estavam na embarcação.

A sétima vítima ainda está sendo procurada pelas equipes do Corpo de Bombeiros que foram deslocadas ao local onde ocorreu a tragédia. De acordo com a corporação, havia 21 pessoas a bordo do barco-hotel.

Conforme a corporação, as águas turvas do rio, a forte correnteza e as características peculiares do barco-hotel, com labirintos e locais de difícil acesso são elementos que tornam mais complexas as buscas.

As equipes do Corpo de Bombeiros continuarão as buscas pelos próximos dias.

Comentários Facebook
Leia Também:  Polícia Civil e PRF apreendem 74 quilos de cloridrato de cocaína camuflados em motor de veículo

Brasil

Decreto cria verbas para pagar Auxílio Brasil de R$ 400 em dezembro

A edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de terça-feira (7) trouxe o texto da medida provisória (MP) 1.076 de 2021, que antecipa o pagamento do novo valor do Auxílio Brasil – programa social de distribuição de renda que substitui o antigo Bolsa Família.

O instrumento cria um benefício extraordinário que complementa as parcelas já previstas do Auxílio Brasil para o valor de R$ 400 divulgado pelo governo. A manobra ocorre devido à necessidade de promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que deverá ser fatiada e que possibilitará a alocação de recursos para o pagamento integral do Auxílio Brasil.

Segundo o calendário de pagamentos já divulgado pela Caixa, os créditos relativos à parcela de dezembro do Auxílio Brasil serão recebidos a partir da próxima sexta-feira (10).

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a PEC dos Precatórios e afirmou que o instrumento não é “calote”, mas uma forma viável de realocar dívidas em prol de uma revisão justa de benefícios sociais.

Leia Também:  Polícia prende 3 membros de uma família que comandavam ponto de venda de drogas em Rondonópolis

“[A PEC dos Precatórios] não é um calote, muito pelo contrário. É uma renegociação, um alongamento de dívida para quem tinha mais de R$ 600 mil para receber do governo. É isso que nos permite um saldo, um espaço, para potencializar com justiça o programa”, disse o presidente durante a cerimônia de assinatura da concessão de frequências do 5G no Palácio do Planalto.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA