Mato Grosso

CGE e TCU vão ampliar ações integradas de fiscalização

A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) e o Tribunal de Contas da União (TCU) vão fortalecer as ações integradas e promover o intercâmbio de experiências, informações e tecnologias na fiscalização da aplicação dos recursos públicos. O reforço na parceria foi pauta da visita técnica do novo secretário de controle externo do TCU em Mato Grosso, René Oliveira Neuenschwander Junior, ao novo secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida, na terça-feira (22.01).

Na oportunidade, René explicou que as ações conjuntas, não somente com a CGE, mas com outros órgãos de controle, terão mais relevância para o TCU a partir deste ano como requisito da nova estrutura organizacional e metodologia de atuação do Tribunal.  A nova sistemática, a ser implementada a partir de abril/2019, terá como foco principal a melhoria das políticas públicas financiadas com recursos federais.

E, para isso, as secretarias do TCU nos estados estão incumbidas de articular uma maior integração com os órgãos de controle já que a execução das políticas públicas envolve recursos não somente da União, mas também dos estados e municípios.

“O TCU deixou de ser há muito tempo um órgão que atua estritamente na conformidade de processos e na apuração de tomadas de contas. O Tribunal quer ver o resultado útil das políticas públicas para a população. Para isso, precisamos otimizar a força de trabalho e fazer os estados atuarem de forma sistêmica e conjunta. A atuação precisa ser mais robusta porque, muitas vezes, o problema pode estar não somente na malversação dos recursos púbicos, mas na formulação e na malversação dos objetivos da política pública”, argumentou o secretário do TCU.

Leia Também:  Jovem de 16 anos tenta atravessar rio e morre afogado

O titular da CGE assegurou que a Controladoria de Mato Grosso tem total interesse e disposição em estreitar a parceria com o TCU. “Cada órgão de controle tem sua potencialidade. Se juntarmos todas elas, formaremos um todo muito mais forte contra o erro e a falha, mas, principalmente, contra a fraude e a corrupção no serviço público. Precisamos unir forças para dar um melhor resultado para a população”, disse Hideki.

O secretário adjunto de Controle Preventivo, José Alves Pereira Filho, destacou as expectativas da CGE em relação ao compartilhamento de experiências e acessos aos sistemas corporativos, sobretudo por conta da expertise do TCU em fiscalizar o desempenho das áreas finalísticas e do planejamento estratégico da Controladoria de avançar nesta questão.   

O adjunto sugeriu, inclusive, a implementação de uma espécie de “laboratório de controle”, com a concentração de auditores de diversos órgãos em um mesmo espaço físico, o que poderia facilitar a comunicação entre as instituições nos trabalhos que cada uma tenha de desenvolver no seu âmbito de competência.

“Hoje a comunicação entre os órgãos de controle acontece, muitas vezes, de maneira esporádica e burocrática. A criação de uma espécie de laboratório de controle facilitaria o acesso aos sistemas e a geração de trilhas de auditoria, por exemplo”, comentou o adjunto.

Leia Também:  Homem é espancado por populares após agredir mulher em MT

Para Alexandre Giraux Cavalcanti, auditor de controle externo e ex-secretário do TCU em Mato Grosso, o “laboratório” é factível de ser criado e vai ao encontro da necessidade de desburocratizar a relação entre os órgãos de controle. “Acho que está muito perto de construirmos este laboratório. Falta conversarmos e nos organizarmos para evitarmos retrabalhos e otimizarmos a atuação técnica”, afirmou.

Na visita, ficou acertada a realização de outras reuniões com a CGE para a definição técnica de como a parceria poderá ser executada. Representantes do TCU em Mato Grosso seguem com visitas a outros órgãos de controle com a mesma finalidade de estreitar parcerias.

Comentários Facebook

Agricultura

Mulheres líderes do agro realizam visita técnica à Brasília

Lideranças femininas do setor agropecuário de Mato Grosso embarcaram hoje (10.08) para uma visita técnica em Brasília. Ao longo dos próximos dias, um grupo com 40 mulheres visitará a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), a sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Instituto Pensar Agro (IPA), entre outras instituições na capital federal.

As atividades fazem parte da programação da Academia de Liderança – Mulheres Líderes do Agro, a primeira organizada pelo Senar-MT exclusivamente ao público feminino. Ao todo, serão três encontros, de julho a setembro. Nesta segunda etapa, que ocorre em Brasília, as mulheres conhecerão mais sobre a atuação das instituições visitadas, seus representantes e a estrutura dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

A Academia de Liderança reúne produtoras rurais, lideranças sindicais e mulheres que trabalham no setor agropecuário. O objetivo é formar líderes que possam atuar nas mais diversas esferas que envolvem a agropecuária no estado e impulsionar ainda mais o seu desenvolvimento.

No primeiro módulo, que ocorreu em Cuiabá, as participantes aprenderam mais sobre atuação política no agro e autoconhecimento e propósito. Além disso, tiveram a oportunidade de conhecer as áreas de atuação de cada uma das instituições do Sistema Famato: o Senar-MT, Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Instituto Agrihub, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e os Sindicatos Rurais.

Leia Também:  Passageira de ônibus é presa novamente transportando drogas

Essa é a primeira visita técnica da Academia de Liderança, após o início da pandemia de Covid-19. “Esse momento foi muito aguardado, a pandemia adiou o nosso projeto, mas finalmente conseguimos realizá-lo e estamos muito felizes em poder reunir e fortalecer as mulheres do nosso setor”, afirmou o superintendente do Senar-MT, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA