Cuiabá

Criação do Comjuve assegura participação efetiva da juventude na gestão municipal

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, sancionou nesta segunda-feira (28) a Lei nª 6.351/2019. Elaborado pelo Poder Executivo e aprovado pelo Legislativo, o documento trata da criação e organização estrutural do Conselho Municipal de Juventude (Comjuve). O Conselho está vinculado a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo e tem como principal objetivo participar da elaboração e execução de políticas públicas voltadas para a juventude cuiabana.

De acordo com a lei, o órgão será formado por 20 membros titulares – e respectivos suplentes, divididos entre componentes de diferentes esferas do poder público e da sociedade civil organizada. Irão entregar do corpo do Comjuve representantes dos grupos de juventude da mulher, étnico-racial, LGBTQI+, religioso, trabalhador, estudantil universitário, estudantil secundarista e cultura urbana.

“Temos alguns passos importantes para dar ao longo da nossa gestão e a criação do Comjuve é um deles. Por meio dessa lei, estamos chamando efetivamente a juventude para dentro da administração e criando uma ferramenta que garante a participação concreta na criação de políticas voltadas para melhorar nossa cidade. Os jovens são todos cheios de desejos de lutar por igualdade de direito e coube a nós, como poder público, encontra uma forma de assegurar esse espaço a eles”, comentou o prefeito Emanuel Pinheiro.

Leia Também:  Quem pode e como doar leite materno? Pediatra esclarece principais dúvidas

A lei estabelece ainda que o órgão contribua na fiscalização e cumprimento de legislação que assegure os direitos dos jovens; acompanhar, analisar e apresentar sugestões em relação à implantação de ações governamentais na esfera municipal; desenvolver estudos e pesquisas, objetivando subsidiar o planejamento das políticas públicas; propiciar a inclusão, visando à cidadania plena; e realizar a cada dois anos a Conferência Municipal de Juventude, aberta a toda população.

“Ao longo do tempo, toda juventude tem sua luta, seu objetivo e sabe aonde quer chegar. O que eu vejo nesse Conselho não é diferente. Todos esses jovens tem uma história, uma vertente distinta, mas juntos querem chegar a um grande objetivo. Fui eleito o deputado federal mais jovem da história de Mato Grosso, mas quando encerrar meu mandato quero ser reconhecido como o parlamentar que mais trabalhou e ajudou a melhorar a vida das pessoas. Esse também é o meu desejo para aqueles que irão compor o Comjuve”, destacou o deputado federal, Emanuel Pinheiro Neto.

Para o presidente da Associação Mato-grossense de Estudantes Secundaristas (AME), Juarez França, é importante ressaltar que a o Conselho traz consigo toda pluralidade e diversidade da juventude de Cuiabá. “Esse não será um órgão que irá representar apenas o anseio de um determinado grupo, mas sim de todos os jovens da baixada cuiabana. Nosso objetivo é ser referência, com um trabalho efetivo e as condições necessárias para lutar por todos. Essa lei nos dá uma maior liberdade para contribuir com o poder públicos na formulação e implementação de ações voltadas aos jovens”, disse o presidente.

Leia Também:  Sine Municipal disponibiliza 529 vagas de emprego nesta sexta-feira (12)

A presidente do Conselho Estadual de Juventude, Thaís Brasil, destacou que quando a sociedade civil trabalha em harmonia com o poder público os ganhos para a juventude se tornam ainda maiores. “A criação desse Conselho é um exemplo de vitória. Sabemos que a Capital representa muito para a juventude de todo nosso estado, por isso parabenizamos as pessoas que lutaram pela construção desse projeto. Temos a certeza de que esse grupo trabalhará lado a lado com o Conselho estadual”, pontuou Thaís.

Também participaram do ato o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, o vice-reitor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Prof. Evandro Aparecido, e o diretor-geral do campus Cel. Octayde Jorge da Silva, do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Cristovam Albano da Silva Júnior.

Comentários Facebook

Cuiabá

Quem pode e como doar leite materno? Pediatra esclarece principais dúvidas

Incentivar a amamentação é o principal objetivo da campanha “Agosto Dourado”, realizada durante todo este mês de agosto, escolhido mundialmente para reforçar a promoção da amamentação e conscientizar as mães sobre a importância dessa prática.

Melhor alimento nos primeiros meses de vida, o leite materno possui inúmeros nutrientes que auxiliam no crescimento saudável dos bebês. Mesmo sabendo da importância da amamentação, muitas mulheres ainda têm dúvidas sobre como doar, por exemplo, e precisam de apoio e orientação.

A médica pediatra e neonatologista Fernannda Pigatto Vilela, diretora-técnica do Hospital e Maternidade Femina, em Cuiabá, esclarece as principais dúvidas relacionadas à amamentação.

O hospital é referência em atendimento materno e infantil e oferece um posto de coleta de leite para as mães que pretendem doar. A unidade ainda mantém o projeto “Cegonhas do Bem”, que auxilia as mães a amamentarem seus filhos.

Quem pode e como doar leite materno?
Toda mulher saudável, que não está tomando medicamentos incompatíveis com a amamentação, pode doar. Entretanto, é preciso apresentar exames atualizados do pré-natal (hemograma completo, HIV, HBSAG – Hepatite B, Sifílis), com validade de até seis meses. A retirada do leite pode ser feita em casa e depois a mulher pode fazer a doação em um banco de leite. Antes de retirar o leite, a mulher deve seguir algumas recomendações. Preparar o frasco, que deve ser obrigatoriamente fornecido pelo banco de leite ou frasco de vidro com tampa plástica, devidamente higienizada. Fazer a higiene pessoal, lavar as mãos com água e sabão e as mamas somente com água. Ao iniciar a retirada, a mulher deve estar em um local tranquilo, sentar-se em local confortável.

Leia Também:  Cuiabá confirma mais dois casos de Monkeypox

Onde guardar o leite materno?
O leite recolhido deve ser mantido no freezer ou no congelador da geladeira por no máximo 10 dias.

É possível amamentar um recém-nascido internado na UTI Neonatal?
Sim. O leite materno traz inúmeros benefícios e sempre será a melhor escolha para o recém-nascido, pois oferece proteção imunológica. Mesmo ele não conseguindo sugar, o leite da mãe é fornecido por sonda.

O que é colostro? Para que serve? Pode ser doado?
Colostro é o primeiro leite produzido pela mulher para amamentar o bebê e dura entre 3 a 5 dias, portanto, dificilmente ocorre quantidade suficiente para doação (mínimo 100 ml para pasteurizar). Nutritivo e calórico, o colostro estimula o sistema imune do bebê, garantindo anticorpos que previnem o desenvolvimento de doenças como alergia ou diarreia, por exemplo, além de diminuir o risco de morbidade e mortalidade infantil.

Mães portadoras de HIV ou infectadas pela Covid-19 podem doar?
A mãe infectada por Covid-19 deve se paramentar para amamentar seu filho, porém, não é possível realizar a doação do leite. As portadoras de HIV também não podem doar.

Leia Também:  Quem pode e como doar leite materno? Pediatra esclarece principais dúvidas

Como doar ao banco de leite do Hospital e Maternidade Femina, em Cuiabá? Quais os horários e informações de atendimento?
O Hospital e Maternidade Femina possui um posto de coleta de leite humano (PCLH) credenciado ao BLH do Hospital Júlio Muller, a fim de realizar coletas seguras, oferecendo qualidade sanitária ao paciente. O horário de atendimento do posto de coleta de leite humano do Hospital e Maternidade Femina funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30 e, das 13h30 às 17h30. Aos sábados, das 8h às 11h. Após esse horário, serão atendidas somente as mães que estejam com seus filhos internados na UTI Neo. Doadoras devem se dirigir primeiramente à recepção do hospital para prévio atendimento.

Informações: recepção 21289000 (PABX), 21289199 (Lactário), 21289064 (Nutrição)

Sobre a Femina
O Hospital e Maternidade Femina atua há 43 anos em Cuiabá, nas áreas de Pediatria, Obstetrícia, Clínica-Geral e pronto atendimento com plantão 24 horas. Também conta com estrutura laboratorial de análises clínicas, no caso de exames solicitados durante os pronto-atendimentos. Ainda fazem parte de sua estrutura UTI adulta, UTI Neonatal e UTI pediátrica.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA