Tecnologia

Criminosos usam Uber para aplicar golpe que rouba dados do seu cartão de crédito

Brasil Econômico


Golpe que oferece desconto de R$ 100 em viagens da Uber está se espalhando por email pela internet
Reprodução

Golpe que oferece desconto de R$ 100 em viagens da Uber está se espalhando por email pela internet

Descontos em corridas nos aplicativos de transporte estão se tornando cada vez mais comuns. Numa concorrência ferrenha pela preferência dos usuários, empresas como Uber
, Cabify e 99 Táxis arranjam todo tipo de desculpa para oferecer cupons de desconto
nem que seja apenas para fazer com que os usuários abram novamente o aplicativo. Cientes disso, criminosos estão usando a estratégia para aplicar um golpe
nas pessoas.

Leia também: Uber anuncia parceria com a Nasa para criação de “carro voador”

O golpe foi identificado pela empresa de segurança digital Norton. Segundo ela, os usuários brasileiros estão recebendo um email
com uma suposta promoção que oferece R$ 100 de desconto em viagens da Uber. A cifra chama atenção das pessoas que clicam no link e entram num site que simula o oficial da empresa de transporte e pede que os usuários cadastrem nome, CPF, telefone e cartão de crédito.

Aqueles que não desconfiam e enviam os dados são redirecionados, agora sim, para o site oficial da Uber de modo que muitos continuam sem perceber que caíram num golpe, achando que trata-se apenas de um erro, minimizando, portanto, o risco dos criminosos serem pegos. A essa altura, porém, já é tarde. Será preciso bloquear o cartão para evitar que pagamentos e transferências indesejados sejam feitos sem o seu consentimento.

A estratégia dos criminosos surpreende já que eles escolheram utilizar o email para aplicar o golpe, diferente da maioria dos “concorrentes” que utilizam o WhatsApp.

Pelo aplicativo, as mensagens contendo links para sites falos se espalham mais rápidos e aumentam os ganhos dos criminosos com velocidade. Por email, porém, a tática dos golpistas ganha uma camada de credibilidade já que os usuários tendem a acreditar mais naquilo que recebem na caixa de entrada.

Leia também: Empresa detecta vírus que acessa conversas de usuários feitas no WhatsApp

Golpe no WhatsApp

Lugar preferido dos criminosos, o WhatsApp também oferece diversos riscos para usuários desavisados. Recentemente, uma quadrilha usou o sucesso do filme Vingadores: Guerra Infinita
para atrair a atenção dos usuários

para um site que continha uma espécie de quizz.


Mensagem compartilhada no WhatsApp supostamente leva ao site oficial da Marvel, mas ao clicar usuário é levado a site falso
Reprodução

Mensagem compartilhada no WhatsApp supostamente leva ao site oficial da Marvel, mas ao clicar usuário é levado a site falso

Leia também: Criminosos usam sucesso de filme dos Vingadores para aplicar golpe pelo WhatsApp

Os golpistas ofereciam um par de ingressos para assistir ao filme em troca de respostas para três perguntas num suposto site da Marvel, estúdio que produziu o blockbuster, além do envio da mesma mensagem para pelo menos 30 contatos. Dessa forma, o golpe
chegou a atingir mais de 50 mil pessoas.

Comentários Facebook

Brasil

WhatsApp lança recursos premium para atrair empresas

O WhatsApp anunciou o lançamento de novas bibliotecas de funcionalidades, conhecidas como APIs, baseadas em serviços de nuvem – quando o processamento dos aplicativos é feito em tempo real por servidores e enviado via internet para o usuário – com foco específico no uso empresarial do aplicativo. A novidade foi apresentada pelo presidente-executivo da Meta, antiga Facebook e dona do WhatsApp, Mark Zuckerberg.

A rede social de troca de mensagens instantâneas tem atraído cada vez mais usuários corporativos, e tem lançado diversas atualizações que visam aprimorar a relação entre clientes e empresas, como a possibilidade de transferir dinheiro dentro da própria plataforma.

Zuckerberg disse que a oferta significa que “qualquer empresa ou desenvolvedor pode acessar facilmente nosso serviço, projetar diretamente no WhatsApp para personalizar sua experiência e acelerar o tempo de resposta aos clientes usando nosso seguro WhatsApp Cloud API hospedada pela Meta.”

A Meta, que comprou o WhatsApp por 19 bilhões de dólares em 2014, disse que as empresas não poderão enviar mensagens para as pessoas no WhatsApp, exceto se elas pedirem para ser contatadas.

Fonte: Agência Brasil | Foto: Freepik

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA