Politica MT

Deputados assinam termo de fomento para ajudar famílias de baixa renda


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM), destacou a importância do termo de fomento celebrado entre a ALMT e a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), na segunda-feira (13), na Presidência, para a distribuição de cesta básica para famílias baixa renda.

Assinaram o termo os deputados Botelho, idealizador da ação, a deputada Janaina Riva (MDB) e o deputado Xuxu Dalmolin, além do presidente da Aprosoja, Fernando Cadore. O documento propõe a parceria, conforme o plano de trabalho discutido anteriormente com os deputados, para a consecução e doação de cestas básicas, buscando melhorar a qualidade de vida dos beneficiários carentes do estado, que passam por muitas dificuldades em detrimento aos impactos socioeconômicos causados pela pandemia do coronavírus.

Botelho agradeceu os deputados defensores das causas sociais. Lembrou que desde início da pandemia a Assembleia Legislativa enfrentou todas as situações para ajudar Mato Grosso a superar a pandemia. Um deles foi à criação do Observatório Socioeconômico, comissão especial que acompanhou os impactos negativos na economia, buscando soluções para ajudar, especialmente, os autônomos e microempreendedores.

Leia Também:  Câncer de mama afeta mulheres jovens

“Fizemos o atendimento aos pequenos empreendedores, que ficaram um tempo sem poder trabalhar por causa da pandemia. Investimos no Hospital Metropolitano, que foi ampliado e se tornou referência no tratamento de pacientes com Covid-19; teve o programa SER Família, instituído pelo governo, de iniciativa da Assembleia, o Desenvolve MT, o Fundo de Aval. Então, são inúmeras ações que partiram daqui. Temos ajudado muito os hospitais, implantamos três centros de vacinação. Enfim, estamos sempre trabalhando. E essa parceria com a Aprosoja é inusitada. Uma atitude nobre, vamos poder atender inúmeras pessoas com essa parceria”, destacou Botelho.

O projeto de distribuição dos alimentos faz parte do Agrosolidário, programa de responsabilidade social da Aprosoja, que tem mais de sete mil produtores filiados e, que prontamente, atendeu ao chamado dos deputados para a parceria.

Dessa forma, atuará na arrecadação mediante doação feita pelos associados, parceiros e apoiadores, com expectativa de conseguir recursos para a aquisição de até 50 mil cestas básicas, que serão distribuídas para os 47 municípios interligados aos núcleos da Aprosoja e que se enquadram no programa.

Leia Também:  Dr. Gimenez investe mais de R$ 600 mil em emendas à agricultura familiar

A deputada Janaína Riva também comemorou a ação. “Esse convênio é uma conquista para a população mato-grossense. A Assembleia entra com cinco milhões de reais e a Aprosoja com mais cinco milhões. É um trabalho para ajudar a combater a fome no estado, capitaneado pela Assembleia Legislativa, que partiu pela primeira vez do Botelho quando usou a tribuna para conclamar o setor produtivo a ajudar quem precisa. Vai levar conforto a muitas famílias!”, finalizou a parlamentar.

Cadore também ressaltou a ação. “Um estado tão próspero como Mato Grosso precisa diminuir a distância social. Sabemos que esse é um pequeno passo para ajudar as pessoas que tanto precisam e a Aprosoja é parceira do estado”.  

Dalmolin agradeceu a parceria e destacou as ações já consolidadas em defesa da população. “Quero agradecer a Assembleia que deu mais um passo importante multiplicando os pães. E pedir que outras entidades façam o mesmo”, disse, ao citar outra ação social que possibilitou a distribuição de álcool em gel e  equipamentos de proteção individual (EPIs).

Fonte: ALMT

Comentários Facebook

Politica MT

Projeto de lei institui a “hora do colinho” na saúde pública mato-grossense


O tempo de “colo” mostra melhoria de indicadores como tempo de sono e ganho de peso

Foto: Ronaldo Mazza / Secretaria de Comunicação Social

Dr. Gimenez explica que o mesmo projeto foi implantado com sucesso no estado da Paraíba

Foto: MARCOS LOPES / ALMT

O Projeto de Lei nº 990/2021, de autoria do deputado estadual Dr. Gimenez (PV), institui a “hora do colinho” na rede de saúde pública de Mato Grosso. O objetivo é oferecer acolhimento afetivo a bebês recém-nascidos órfãos ou que por algum motivo estejam privados da presença materna durante a hospitalização.  

Conforme o parlamentar, o projeto será implementado por meio do Protocolo Operacional Padrão (POP), oferecido pela equipe multiprofissional competente. Poderão participar profissionais treinados pelas unidades hospitalares cadastrados ao projeto.  

“Após tantos anos trabalhando com crianças, posso dizer que, sem sombra de dúvida, o amor cura, pois a resposta do bebê será muito positiva ao tratamento depois desse momento de relaxamento proporcionado pela equipe de profissionais. A humanização ajuda a diminuir o estresse e reduz as sensações de eventuais dores”.  

Leia Também:  Com empenho de deputado, Mirassol D’Oeste receberá mais de R$ 2 milhões para pavimentação

A orientação é que o governo estadual faça convênio com os municípios para a efetivação do POP, ampliando a abrangência para a rede municipal de saúde. Além de capacitação, essas unidades poderão criar uma sala específica, tecnicamente preparada e apta com ambiente silencioso, acolhedor e conforto para a recepção dos bebês recém-nascidos órfãos.

Os estabelecimentos de saúde que adotarem o projeto “hora do colinho” estarão autorizados a firmar convênios público-privados locais, nacionais ou internacionais de capacitação, treinamento, divulgação, publicidade e cooperação técnica pertinente ao uso do Protocolo.

Dr. Gimenez explica que Mato Grosso seria um dos pioneiros na implantação da proposta que vem sendo estudada pelo Ministério da Saúde para uso via Sistema Único de Saúde (SUS). “Muitas crianças ficaram órfãs durante a pandemia, o que nos sensibilizou muito e então veio a ideia de criar o projeto, afinal, a mão que cuida também é o colo que acalenta”.

Ele explica que o tempo de colo deve ser ajustado de acordo com a demanda do bebê. A técnica aprimora a respiração e promove a expansão da caixa torácica do recém-nascido, auxiliando o funcionamento do intestino e do estômago. 

Leia Também:  Primeiro-secretário recebe Moeda Honorífica da Polícia Militar

“Nós avaliamos os dados preliminares da Maternidade Frei Damião, na Paraíba, onde esse projeto já foi implementado com muito sucesso e é realmente animador observar que de fato o tempo de “colo” mostra melhoria de indicadores como tempo de sono e ganho de peso, além da redução do refluxo e do tempo de internação”.  

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA