Mato Grosso

Estação de piscicultura da Empaer comercializa 46 mil alevinos para produtores rurais

Antes das 04h, produtores já chegavam à Estação de Piscicultura da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), localizada no município de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao Sul de Cuiabá), para pegar a senha e garantir a compra de alevinos. O chefe da Estação, Antônio Claudino da Silva Filho, contou que foram vendidos em apenas um dia, 46 mil alevinos, medindo de três a cinco centímetros, para recria e engorda para 35 produtores rurais. A Estação comercializará alevinos uma vez por semana, apenas na sexta-feira.

O empresário e produtor rural, João Augusto Lima Pereira, do município de Santo Antônio de Leverger, chegou à Estação às 4h30, e pegou a senha de número 13. Com pouco experiência na criação de alevinos em cativeiro, vendeu o ano passado 30 toneladas de peixe e espera produzir no próximo ano (2020), 60 toneladas. No primeiro dia de comercialização da Empaer, o produtor adquiriu cinco mil alevinos de tambatinga. “Comecei com a piscicultura por lazer e hoje é uma atividade econômica. Tive incentivo e orientação da Empaer e posso dizer que os alevinos desenvolvem bem, tem retorno rápido e baixa mortandade”, enfatiza.

Leia Também:  Jovem de 16 anos tenta atravessar rio e morre afogado

Com dois tanques para engorda de alevinos, o produtor rural, Naldson Ramos da Costa, proprietário de uma área de 24 hectares, no município de Nossa Senhora do Livramento, comprou dois mil alevinos das espécies, tambatinga e tambacu. A criação em cativeiro começou em 2008 como uma atividade de lazer. Toda produção era usada para consumo da família e hoje o excedente é comercializado por R$ 6,00 o quilo. “Atualmente temos peixe para comer e vender. Eu sempre adquiro os alevinos da Empaer devido ao bom preço e à qualidade”, esclarece Naldson.

 A ex-prefeita de Poconé, Nilce Mary Leite esteve na Estação para adquirir mil alevinos de tambatinga. Ela declara que pela primeira vez vai criar alevinos em cativeiro para consumo da família e entender um pouco da atividade. No futuro, pode ser uma atividade que venha gerar lucro e renda. Ela possui uma propriedade de 200 hectares e trabalha com a pecuária de cria e engorda. “Além da venda de alevinos, recebemos orientações importantes dos técnicos da Empaer para criação em cativeiro. A nossa intenção é expandir com a criação de peixes”, comenta.

Leia Também:  Médica veterinária morre em grave acidente na BR-163

Palestra

Antes da entrega dos alevinos, o engenheiro de pesca da Empaer, Enock Alves dos Santos proferiu uma palestra com orientações aos piscicultores desde a construção dos viveiros, manejo, alimentação e nutrição de peixes, qualidade e oxigênio da água, temperatura, densidade por metro quadrado, controle no cultivo, cuidados com a soltura dos alevinos nos tanques ou represas e outros.

Filho informa que é importante o momento da soltura do peixe na água, verificando a temperatura para aclimatização dos alevinos, ajustando as mudanças com cuidado. “Os peixes são transportados em embalagens plásticas com oxigênio e para evitar um choque térmico é necessário colocar as embalagens umas três vezes na água, para soltar na quarta vez os alevinos, evitando a perda e morte”, esclarece.

Na sexta-feira (18.01), foram comercializados alevinos medindo de três a cinco centímetros por R$ 230,00 o milheiro. Durante a temporada serão vendidos também alevinos de cinco a oito por R$ 280,00 e de oito a dez centímetros por R$ 330,00 o milheiro. A previsão de venda será até o  final do mês de maio.

Mais informações com o chefe da Estação, Antônio Claudino – (65) 99606 0281

Comentários Facebook

Agricultura

Mulheres líderes do agro realizam visita técnica à Brasília

Lideranças femininas do setor agropecuário de Mato Grosso embarcaram hoje (10.08) para uma visita técnica em Brasília. Ao longo dos próximos dias, um grupo com 40 mulheres visitará a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), a sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Instituto Pensar Agro (IPA), entre outras instituições na capital federal.

As atividades fazem parte da programação da Academia de Liderança – Mulheres Líderes do Agro, a primeira organizada pelo Senar-MT exclusivamente ao público feminino. Ao todo, serão três encontros, de julho a setembro. Nesta segunda etapa, que ocorre em Brasília, as mulheres conhecerão mais sobre a atuação das instituições visitadas, seus representantes e a estrutura dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

A Academia de Liderança reúne produtoras rurais, lideranças sindicais e mulheres que trabalham no setor agropecuário. O objetivo é formar líderes que possam atuar nas mais diversas esferas que envolvem a agropecuária no estado e impulsionar ainda mais o seu desenvolvimento.

No primeiro módulo, que ocorreu em Cuiabá, as participantes aprenderam mais sobre atuação política no agro e autoconhecimento e propósito. Além disso, tiveram a oportunidade de conhecer as áreas de atuação de cada uma das instituições do Sistema Famato: o Senar-MT, Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Instituto Agrihub, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e os Sindicatos Rurais.

Leia Também:  Mulheres líderes do agro realizam visita técnica à Brasília

Essa é a primeira visita técnica da Academia de Liderança, após o início da pandemia de Covid-19. “Esse momento foi muito aguardado, a pandemia adiou o nosso projeto, mas finalmente conseguimos realizá-lo e estamos muito felizes em poder reunir e fortalecer as mulheres do nosso setor”, afirmou o superintendente do Senar-MT, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA