Agricultura

Governo Federal prevê investimento de R$30 bi em ferrovias nos próximos 5 anos

O Ministério de Infraestrutura prevê investimentos de R$ 30 bilhões para ampliar a malha ferroviária do país. Os recursos seriam obtidos por meio de concessões. Informações foram detalhadas pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas, que participou hoje do 1º Fórum de Desenvolvimento Sustentável da Costa Verde, realizado na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), na cidade de Seropédica (RJ).

“Vamos investir R$ 30 bilhões em ferrovias nos próximos 5 ou 6 anos”, disse. O primeiro contrato de concessão foi assinado no ano passado e envolve a Ferrovia Norte-Sul, no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D’Oeste (SP). Para este ano, são previsas as concessões da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que ligará Ilhéus (BA) a Figueirópolis (TO), e a Ferrogrão, projeto com origem em Cuiabá (MT) e término em Santarém (PA).

O governo planeja ainda trabalhar por uma mudança legislativa que permita o regime de autorização. Trata-se de um modelo em que o investidor tem mais liberdade do que no regime de concessão. “Hoje não é possível nós operarmos com autorização nas ferrovias. No setor portuário, nós já fazemos isso. As autorizações abrem uma nova porta. Vale para aquele investidor que quer tomar o risco de engenharia, para que possa empreender e ter a propriedade da ferrovia, ter o benefício da perpetuidade, a liberdade para definir sua tarifa. Isso é importante para quem assume risco de longo prazo e proporciona novos investimentos ferroviários no Brasil”, disse Tarcísio.

Leia Também:  Casal responsável por lançar drogas e celulares em penitenciária de Rondonópolis é preso em flagrante

Segundo um estudo de 2018 da Fundação Dom Cabral, a malha rodoviária é utilizada para o escoamento de 75% da produção no país. As ferrovias respondem por 5,4%. Os impactos causados pela greve dos caminhoneiros de 2018 expôs a dependência do país do transporte rodoviário e gerou um debate público sobre a necessidade de se ampliar a malha ferroviária .

Tarcísio disse que o Ministério da Infraestrutura tem conversado com todos os setores em busca de melhorias coletivas. No caso dos caminhoneiros, ele destacou ter abarcado algumas demandas nos projetos de concessões de novas rodovias como a Rodovia Presidente Dutra, conhecida popularmente como Via Dutra, que liga o Rio de Janeiro à São Paulo.

“Eu tenho 70 grupos de Whatsapp de caminhoneiros para vocês terem uma ideia. E eu costumo responder todas as questões. Dá um trabalho danado, mas é importante porque isso muda um ponto de vista, às vezes segura uma greve”, disse.

Comentários Facebook

Agricultura

MT registra novo recorde no Valor Bruto da Produção Agropecuária e consolida a liderança

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021, estimado com base nas informações de setembro, atingiu R$ 194,54 bilhões em Mato Grosso. Esse montante representa 17,63% do VPB nacional, estimado em R$ 1,103 trilhão, e mantém Mato Grosso como o principal polo brasileiro de produção agropecuária.

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento nesta quinta-feira (14.10). Confira aqui. As cifras são superiores às de 2020 (com R$ 171,13 bilhões) e consolidam Mato Grosso no topo do ranking nacional, à frente de estados como Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

As maiores contribuições para o resultado mato-grossense vieram do milho, soja e da carne bovina. Somente a bovinocultura representou o montante de R$ 27,333 bilhões do VPB nacional e superou o montante de 2020, de R$ 24,721 bilhões.

O presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Oswaldo Pereira Ribeiro Júnior, destaca que, apesar de todos os percalços enfrentados pela pecuária, a atividade “continua surpreendendo e trazendo mais riqueza para o país”.

Leia Também:  Gasp e Polícia Civil prendem dois homens em flagrante por descarte irregular de lixo

O que é VBP

O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento.

Esse valor é calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

Já o valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas.

Com informações do Mapa Foto: Secom – MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA