Destaque

Investigações resultam em oito prisões por crimes contra o patrimônio e tráfico em Rondonópolis

Oito suspeitos de crimes contra o patrimônio e tráfico de drogas foram presos nesta semana, em Rondonópolis, em várias investigações conduzidas pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Def) do município. Outras duas pessoas procuradas pela Justiça também foram presas pela unidade policial.

Em uma das investigações, a equipe da delegacia prendeu em flagrante um dos autores do roubo a uma loja de eletrodomésticos, ocorrido na manhã de quinta-feira (12), na Vila Operária, de onde uma dupla criminosa levou diversos celulares.

Durante as diligências para esclarecer outro roubo, ocorrido em uma loja de telefonia móvel do centro da cidade, os investigadores identificaram a motocicleta de um dos ladrões e a partir dela foi possível chegar a um dos envolvidos. Preso em seu trabalho, o suspeito negou a participação nos roubos. Mas em buscas na residência da avó da esposa dele, no bairro Vila Ipê, após ter a entrada autorizada, os policiais localizaram dois aparelhos celulares identificados pelo número de Imei como os roubados da loja Martinello e da loja da Claro.

O suspeito, de 30 anos, foi reconhecido pelas vítimas. Ele foi autuado em flagrante por roubo qualificado e depois encaminhado à unidade prisional. O criminoso era monitorado por tornozeleira eletrônica, que estava desligada no momento da prisão.

Furto

Na terça-feira (10.05), a equipe da Derf de Rondonópolis recuperou peças de roupas e calçados furtados de uma loja. Um adolescente foi apreendido pelo furto e dois suspeitos de receptação responderão pelo crime.

Os produtos foram localizados em quatro endereços diferentes da cidade. Durante as investigações, os policiais civis apuraram que algumas peças estavam sendo ofertadas em grupos de redes sociais. Após identificar a pessoa que fazia a venda, a equipe passou a monitorar a sua residência e na terça-feira, quando chegou ao local em companhia de dois adolescentes, que usavam as roupas furtadas e reconhecidas pela vítima, foram detidos e levados à delegacia.

Leia Também:  Médico alerta para cuidados com o idoso dentro de casa

Parte das peças foram levadas para outros endereços, onde foram localizadas mais roupas, além de munições de calibre 12. Um dos menores detidos acabou confessando a participação no furto.

O furto ocorreu no dia 26 de abril. O proprietário da loja narrou que durante a madrugada três pessoas forçaram o blindex do estabelecimento, arrebentaram os cadeados e entraram no local. Foram levados 120 itens, entre camisetas, agasalhos, shorts, tênis, perfumes, relógios, bonés, chinelos e óculos.

Falso policial

A delegacia especializada prendeu também em flagrante um homem que se passava por policial civil para aplicar golpes, exigindo dinheiro a donos de transportadoras do município.

O golpista, de 34 anos, abordava as vítimas por telefone e mensagens por aplicativos exigindo dinheiro para que as empresas não fossem alvos de supostas investigações. No seu perfil no aplicativo Whatsapp, o suspeito utilizava a imagem do brasão da Derf Rondonópolis para se passar por policial.

As investigações iniciaram após uma das vítimas procurar a delegacia e relatar que o suspeito pediu dinheiro para que “aliviasse a barra” sobre uma investigação de roubo de carga contra a sua transportadora. Com base nas informações passadas, a equipe de investigação e o Núcleo de Inteligência da delegacia conseguiram identificar o suspeito, detido em um comércio de sua propriedade no bairro Jardim Parque II. Com ele, foram apreendidos dois chips de celular que eram utilizados para contato com as vítimas.

Leia Também:  Governo estadual paga servidores nesta quinta-feira, incluindo 50% do 13° salário aos efetivos

Tráfico de drogas

As equipes da Derf realizaram ações no combate ao tráfico de drogas que resultaram no fechamento de bocas de fumo no Residencial Magnólia, região da Vila Dom Osório e Jardim Copacabana.

Na segunda-feira, quatro integrantes de uma associação articulada para o tráfico de drogas foram presos após a equipe policial apurar que o grupo estava vendendo drogas próximo a uma escola do município. A ação resultou na apreensão de diversas porções de drogas, dinheiro e um veículo Gol utilizado para o comércio ilícito. Os suspeitos de 34, 20, 19 e 18 anos eram responsáveis pela distribuição das drogas na região dos bairros Dom Osório, Nova Era e Liberdade.

Na terça-feira, um suspeito foi preso no Residencial Magnólia, em flagrante, por tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção de menores. No local foram apreendidas porções de droga, dinheiro e vários materiais usados para embalar o entorpecente.

Já na quinta-feira, os policiais da Derf prenderam um traficante de 23 anos, no Jardim Copacabana. Na quitinete em que morava, ele atendia usuários que iam ao local comprar porções de entorpecentes. Para atender os ‘clientes’, ele ia até o portão, falando ao telefone celular, verificava o movimento na rua, quando então um usuário se aproximava, pegava a droga e saía.

No interior da quitinete foram apreendidos um tablete de maconha e outras porções já embaladas, uma balança de precisão, apetrechos para embalar e contatos de usuários que compram o entorpecente via aplicativo de mensagens.

Comentários Facebook

Agricultura

Plano Safra 2022/2023 anuncia R$ 340,8 bilhões para a agropecuária

O governo federal lançou nesta quarta-feira (29) o Plano Safra 2022/2023, que vai disponibilizar um total de R$ 340,88 bilhões em financiamentos para apoiar a produção agropecuária nacional até junho do próximo ano. O valor, segundo o Ministério da Agricultura, representa aumento de 36% em relação ao Plano Safra anterior, que disponibilizou R$ 251 bilhões a produtores rurais.

O novo plano foi anunciado durante cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro, do ministro da Agricultura, Marcos Montes, além de diversas outras autoridades. Do total de recursos disponibilizados, R$ 246,28 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização, uma alta de 39% em relação ao ano anterior. Outros R$ 94,6 bilhões serão para investimentos, um incremento de 29%.

“Estamos lançando um plano safra capaz de atender aos diversos segmentos do agro e atento aos compromissos do governo e da sociedade de responsabilidade fiscal, um plano safra com valor muito expressivo, R$ 341 bilhões diante de R$ 252 na safra passada, e com taxas de juros compatíveis e inferiores às taxas de mercado, inferiores até à taxa Selic”, destacou o ministro Marcos Montes.

Os recursos com juros controlados somam R$ 195,7 bilhões e aqueles com juros livres totalizam R$ 145,18 bilhões. O montante de recursos equalizados, que é aquela parte do juros que não é cobrada do tomador, cresceu 31%, chegando a R$ 115,8 bilhões na próxima safra, segundo o governo.

O novo Plano Safra também aumentou, de 50% para 70%, a possibilidade de uso dos recursos das Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). A LCA é um título de renda fixa emitido pelos bancos para financiar atividades agropecuárias. A expectativa, segundo o governo, é que a medida gere uma maior participação do mercado de finanças privadas do agro, com a expansão de títulos como a CPR, CDCA, CRA, além da LCA.

Leia Também:  Três suspeitos são presos em flagrante por extorsão e associação criminosa

Pronaf e Pronamp

Os recursos para os pequenos produtores rurais, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), subiram 36%, totalizando R$ 53,61 bilhões, com juros de 5% ao ano (para produção de alimentos e produtos da sociobiodiversidade) e 6% ao ano (para os demais produtos).

Para o médio produtor, no âmbito do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), foram disponibilizados R$ 43,75 bilhões, um aumento de 28% em relação à safra passada, com juros de 8% ao ano.

Os recursos disponibilizados no âmbito do Pronaf e do Pronamp são integralmente com taxas de juros controladas.

Para os demais produtores e cooperativas, o total disponibilizado é de R$ 243,4 bilhões, com taxas de juros de 12% ao ano. Os produtores rurais também podem optar pela contratação de financiamento de investimento a taxas de juros pós-fixadas.

Sustentabilidade

Este ano, o Programa ABC, que financia a recuperação de áreas e de pastagens degradadas, a implantação de sistemas de integração lavoura-pecuária-florestas e a adoção de práticas conservacionistas de uso, manejo e proteção dos recursos naturais, contará com R$ 6,19 bilhões. As taxas de juros serão de 7% ao ano para ações de recomposição de reserva legal e áreas de proteção permanente e de 8,5% para as demais.

Também foi criado o ABC+ Bioeconomia, que prevê investimentos em sistemas de exploração extrativista não madeireira, de produtos da sociobiodiversidade e ecologicamente sustentáveis. Outra novidade anunciada pelo governo é o financiamento de remineralizadores de solo (pó de rocha), que tem o potencial de reduzir a dependência dos fertilizantes importados.

Leia Também:  INSS detalha procedimentos para atendimento presencial

O governo também anunciou R$ 1,95 bilhão para o programa Proirriga, que contempla o financiamento de todos os itens inerentes aos sistemas de irrigação, inclusive infraestrutura elétrica, reserva de água e equipamento para monitoramento da umidade no solo.

Tecnologias

Outra linha de financiamento do Plano Safra, o Inovagro, terá R$ 3,51 bilhões em recursos, com juros de 10,5% ao ano. A categoria disponibiliza financiamento para o incentivo à inovação tecnológica e para investimentos necessários para a adoção de boas práticas agropecuárias e de gestão da propriedade.

Entre os financiamentos previstos no Plano Safra 2022/2023 estão os investimentos relacionados a sistemas de conectividade no campo, softwares e licenças para gestão, monitoramento ou automação das atividades produtivas, além de sistemas para geração e distribuição de energia produzida a partir de fontes renováveis.

Armazéns

O Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), que financia investimentos necessários para a ampliação e construção de novos armazéns, terá R$ 5,13 bilhões disponíveis na próxima safra, com taxas de juros de 7% ao ano para investimentos relativos à armazenagem com capacidade de até 6 mil toneladas, e de 8,5 % ao ano para os demais investimentos. O prazo de reembolso desses empréstimos é de até 12 anos, com carência de até 3 anos.

Neste ano, segundo o governo, foi instituído um limite de financiamento de R$ 50 milhões para investimentos relativos a armazenagens de grãos. Para o armazenamento dos demais itens, o limite continua sendo de R$ 25 milhões.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA