Cuiabá

Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho

A defesa de Ramira Gomes da Silva, de 22 anos, presa por matar e esfartejar o próprio filho, Brayan da Silva Otani, de 5 meses, entrou com um pedido de instrução de insanidade mental. Entretanto, a juíza da 1° Vara Criminal de Sorriso, Emanuelle Chiaradia Navarro Mano negou.

A decisão da magistrada foi publicada em setembro.

De acordo com o documento, a defesa alegou que “foi possível notar certa perturbação no depoimento da denunciada”.

“Assim, haveria ‘necessidade da instauração de incidente de insanidade para que apure o real estado de inimputabilidade da denunciada’ (sic), para se definir se seria portadora de incapacidade, que lhe tiraria a capacidade de entender o caráter ilícito do cometido”, diz trecho de pedido.

No entanto, a magistrada destacou que foram ouvidas testemunhas durante a instrução processual e que descartam a existência de elementos que apontem padecer a acusada de qualquer enfermidade mental.

“Ressalto, por pertinente, que NENHUMA das testemunhas ouvidas, que conviveram com a acusada, declararam ter ela transparecido qualquer problema mental. Já os policiais, que inclusive foram até Vilhena para buscá-la, afirmaram que ela tinha consciência dos atos cometidos. O que pode acontecer é ter-se tal dúvida pela leitura da denúncia, posto que os fatos descritos são deveras fortes e impensáveis, mas não se apurou razoável dúvida da sanidade mental da acusada durante sua oitiva em Juízo.”, diz trecho do documento.

Leia Também:  MT aumenta em 73% a apreensão de drogas pelas forças de segurança em 2021

“Assim, em que pese o pedido defensivo, INDEFIRO o pedido de instauração de Incidente de Insanidade Mental, pelo que dou prosseguimento ao feito, determinando que se abra vistas dos autos ás partes, primeiro MP, para fins de memoriais”, decidiu magistrada.

O crime

Ramira confessou ter matado o bebê, esquartejado e jogado partes do corpo pelo cano da pia da cozinha e ainda ter enterrado no quintal da casa outra parte do corpo que foi desenterrada depois por um cachorro e com isso foi descoberto o crime.

Ela revelou que matou o filho para viver com uma mulher em outro estado e acreditava que o menino seria empecilho.

Atualmente, a denunciada está presa preventivamente na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

Fonte: Daffiny Delgado – Repórter MT

Comentários Facebook

Cuiabá

Polícia Civil prende traficante e fecha comércio de cocaína

Um traficante de drogas que atuava na região do bairro Altos da Serra em Cuiabá foi preso em flagrante pela Polícia Civil, na manhã de sexta-feira (21.01), em mais uma ação de combate ao tráfico de drogas desencadeada pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).

O suspeito de 33 anos foi flagrado com porções de entorpecentes e diversos apetrechos relacionados ao comércio ilícito, sendo autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Após recebimento de denúncia sobre um comércio de drogas no bairro Altos da Serra II, os policiais foram até o endereço, fazendo o monitoramento da região, momento em que flagraram o suspeito chegando em um veículo Volkswagen Gol.

Os policiais realizaram a abordagem do investigado e em buscas na residência localizaram porções de cocaína e ácido bórico, balança de precisão, copo de liquidificador com resquícios de entorpecentes, tesoura e outros apetrechos utilizados para embalo da droga como plásticos, tubo de linha, e uma colher.

Todo material ilícito foi apreendido e o suspeito encaminhado à DRE, onde após ser interrogado pelo delegado André Rigonato, foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. As porções de entorpecentes e demais apetrechos apreendidos na casa foram encaminhados à Politec, sendo o resultado positivo para cocaína e ácido bórico.

Leia Também:  Prefeitura de Rondonópolis amplia rede de atendimento médico para síndromes gripais

O delegado destacou a importância do combate ao tráfico doméstico, que ocorre dentro de bairros, aumento a criminalidade e trazendo transtornos para os moradores da região. “Mais um traficante foi retirado de circulação graças ao empenho dos servidores da DRE envolvidos nas ações de combate ao tráfico realizadas rotineiramente pela especializada”, disse o delegado.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA