Destaque

PM prende quadrilha e recupera arsenal de armas de fogo furtado em propriedade rural

Em ação integrada entre o 22º Batalhão e a Força Tática do 15º Comando Regional, a Polícia Militar prendeu, na tarde de ontem (01.12), três suspeitos por furto à uma propriedade rural na cidade de Peixoto de Azevedo. Na ação criminosa, os indivíduos, que já possuiam passagens por roubo, furtaram espingardas, revólveres e rifles, além de centenas de munições de diversos calibres.

Acionada via 190, a PM se deslocou até uma propriedade rural, onde teve acesso às imagens de câmeras de monitoramento e identificaram os suspeitos, que haviam subtraído quatro armas de fogo e diversas munições e carregadores.

Segundo as informações do boletim de ocorrência, reconhecendo o alto poderio dos armamentos em posse dos suspeitos, os militares solicitaram apoio às demais guarnições do 22º BPM e da Força Tática do 15º CR, que com o auxílio da Polícia Penal de Peixoto de Azevedo conseguiram obter as qualificações dos indivíduos, que tinham passagen criminal por roubo, e a localização dos mesmos.

As equipes se deslocoram até a casa de dois dos suspeitos, no bairro Liberdade, onde prenderam a dupla e apreenderam dois revólveres calibre 38, além de 21 munições.

Leia Também:  Três morrem em confronto com a Rotam ao tentar roubar banco

No momento em que os policiais militares estavam saindo de uma das residências, o terceiro suspeito passou na rua com sua motocicleta e, ao avistar os militares, empreendeu fuga. A guarnição iniciou o acompanhamento do indivíduo, que desobedeceu as ordens de parada, mas acabou sendo abordado. Aos policiais, ele relatou que os demais itens do furto estavam em sua residência, no Bairro Jerusalem, onde a PM se deparou com um quarto envolvido. Ao notar a presença dos policiais, o homem conseguiu fugir pela janela da residência, dispensando um carregador de pistola com 17 munições.

Em buscas pela imóvel, foram localizadas (no forro da casa); duas espingardas (calibre 20 e calibre 32), carregadores, uma balança de precisão, quatro porções de maconha e uma porção de pasta base.

O material foi apreendido e os suspeitos detidos e encaminhados para a Delegacia de Polícia. A Polícia Militar segue em busca do quarto suspeito envolvido no crime.

Comentários Facebook

Agricultura

Safra de grãos deve subir 6,4% em 2022, estima Conab

A safra de grãos brasileira 2021/2022 deve alcançar 271,8 milhões de toneladas, um aumento de 6,4% na comparação com o ciclo anterior, informou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estimativa, que faz parte do 8º levantamento da safra divulgado pela empresa, aponta ainda um ganho de 2,5 milhões de toneladas quando comparado com a estimativa publicada no mês anterior.

Segundo a Conab, essa melhora na produção é explicada pela maior área plantada de milho de segunda safra, além do melhor desenvolvimento no final do ciclo das lavouras, sobretudo de arroz, milho e soja.

“Em final de abril, as culturas de primeira safra, estavam com a colheita praticamente finalizada, as de segunda safra, desde a fase de crescimento até o processo de colheita e as de terceira safra juntamente com as culturas de inverno, em fase inicial de plantio. Portanto, o resultado final do volume desta safra ainda depende do comportamento climático, fator preponderante para o desenvolvimento das culturas”, diz o levantamento.

A empresa informou que para o milho é esperada uma produção total 116,19 milhões de toneladas, elevação de 33,4% em comparação com a safra 2020/21. O levantamento mostra que a janela mais alongada para plantio da segunda safra somada às condições de mercado favoreceram o crescimento de área do cereal.

Leia Também:  Lua de Sangue triplamente especial será visível hoje de todo o Brasil

Em relação ao arroz, a produção será menor ao que foi produzido na safra passada. A queda estimada é de 9,1%. Com isso a safra deve ficar em 10,7 milhões de toneladas, das quais 9,9 milhões são de cultivo irrigado e 0,8 milhões com o plantio sequeiro.

Segundo a Conab, a soja também terá uma queda na produção, estimada em 123,8 milhões de toneladas, uma redução de 10,4% em relação à safra anterior.

Colheita de algodão. Foto: Wenderson Araujo/Trilux
Colheita de algodão – CNA/ Wenderson Araujo/Trilux

Já as safras de feijão e de algodão terão aumento em relação à safra anterior. Na de feijão, a Conab estima alta de 8,14% em relação à safra anterior, com a produção ficando em 3,14 milhões.

A safra de algodão deve subir 19,5%, favorecida, em parte, pelas condições climáticas e pelo aumento na área plantada. A estimativa é de que a safra seja de 2,82 milhões de toneladas de pluma.

“A cotação da pluma em patamar elevado, que proporciona boa rentabilidade ao produtor, foi a causa primordial nessa elevação da área de plantio”, disse a Conab.

Já as culturas de inverno, como aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale, segundo a Conab, ainda apresentam uma plantação incipiente e devem somar 9,8 milhões de toneladas, das quais 8,1 milhões de trigo e 1,1 milhão de aveia.

Leia Também:  Pré-candidatos podem iniciar vaquinha virtual a partir de hoje

Área plantada

Em relação à área plantada, a Conab informou que a atual safra é estimada em 73,7 milhões de hectares, crescimento de 5,6% se comparada à safra 2020/21. Os maiores incrementos são observados na soja (4,4% ou 1,73 milhão de hectares), e no milho (9,4% ou 1,87 milhão de hectares).

A Conab informou também que não alterou as estimativas de importação de nenhum produto em relação ao levantamento anterior. Já a projeção para exportação de milho para 2022 subiu, passando de 37 milhões de toneladas para 38 milhões de toneladas.

Para os demais produtos, as estimativas de exportação foram mantidas: algodão em 2,05 milhões de toneladas, arroz em 1,3 milhão de toneladas, feijão em 200 mil toneladas e soja em 77 milhões de toneladas.

“No caso do trigo, as informações ainda são referentes à safra 2021, que possui o ano comercial de agosto de 2021 a julho de 2022. Para o cereal, a expectativa de venda para o mercado internacional segue em 3 milhões de toneladas”, disse a Conab.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA