Polícia Federal

Polícia Federal apreende cerca de 50kg de cocaína no Aeroporto de Guarulhos

Guarulhos/SP – A PF prendeu, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em ações no sábado (15/12) e domingo (16/12), oito passageiros tentando embarcar com drogas em voos nacionais e internacionais, um com passaporte falso e outros três por usurpação de bens da união. Cerca de 50 kg de cocaína foram apreendidos durante as ações.

A Polícia Federal prendeu, na madrugada de sábado (15/12), uma mulher brasileira de 25 anos de idade transportando dois quilos de cocaína em fundo falso da mala, tentando embarcar em um voo com destino final a Lisboa/ Portugal. Em outra ação, a PF prendeu um homem nigeriano de 37 anos de idade, tentando embarcar em um voo com destino final para Nigéria/ África, com aproximadamente 12 kg de cocaína em sacos de café.

Outra equipe de policiais, que fiscalizava as bagagens despachadas, prendeu uma mulher brasileira de 24 anos de idade que tinha como destino Maceió. Após o aparelho de raio-x detectar que a mala da conduzida continha substâncias com aparência de droga, foi realizado o narcoteste, por perito criminal federal, na substancia dando resultado positivo para cocaína, com aproximadamente dois quilos em fundo falso da mala. Outra equipe de policiais, em nova ação, abordou um homem, brasileiro de 26 anos de idade, que foi detido após o aparelho de raio-x apontar a presença de material orgânico em uma das malas que ele carregava. Foi constatado que havia aproximadamente seis quilos de cocaína em fundos falsos. O homem tinha como destino final Addis Ababa/ Etíopia.

Na fila do check-in, policiais prenderam duas mulheres. A primeira prisão foi de uma espanhola de 36 anos de idade que apresentou comportamento suspeito durante a entrevista. Ela tinha como destino final Lisboa/ Portugal. Após a abertura da mala, apurou-se que uma coberta estava com cheiro muito forte de perfume e com consistência muito dura. Foi feito o narcoteste e verificou-se tratar de cocaína. Posteriormente, foram encontradas outras cinco cobertas na mala, totalizando aproximadamente dez quilos de cocaína. A outra mulher, uma brasileira de 21 anos de idade, que tinha como destino Zurich/ Suíça, foi presa após os policiais desconfiarem dos motivos que ela alegou para sua viagem. A passageira foi conduzida até a delegacia, onde recebeu voz de prisão após os peritos federais constatarem que a mala da conduzida continha cocaína, em uma placa grossa colocada na lateral da mala, cujo volume somou aproximadamente quatro quilos.

A Receita Federal identificou duas malas com conteúdo suspeito, após passar as malas pelo aparelho de raio-x. A PF foi acionada para localizar a passageira, uma mulher paraguaia de 25 anos de idade, que tinha como destino final Lisboa/Portugal. A perícia na substância suspeita apontou resultado positivo para um volume de aproximadamente cinco quilos de cocaína.

No domingo (16/12), a PF prendeu na fila de check-in um homem filipino de 39 anos de idade, que tinha como destino Addis Ababa/ Etiópia. Ele estava transportando três garrafas de espumante com aproximadamente sete quilos de cocaína líquida. Em outra ação policiais federais da equipe de migração prenderam um homem de 41 anos de idade, tentando embarcar com um passaporte peruano falso.

Uma equipe de policiais federais que fiscalizavam as bagagens despachadas prendeu três pessoas pelo crime de usurpação de bens da União. Uma mulher chinesa de 38 anos de idade, foi presa após passar sua mala pelo scanner e identificarem três peças de metal dourado não declarados. Uma mulher de nacionalidade chinesa de 39 anos de idade, foi presa após identificarem na sua mala duas pedras ametistas com um peso de aproximadamente 17 kg. Com um homem chinês de 29 anos de idadeforam localizados quatro quilos de pedras preciosas diversas e 45 cartelas, contendo dez comprimidos cada, do medicamento “TERFAMEX”.

Os presos serão encaminhados ao presídio estadual, onde ficarão à disposição da Justiça.

 

 

Comunicação Social
Delegacia Especial no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos
Superintendência da Polícia Federal em São Paulo
Tel: (11) 2445-2212

 

Comentários Facebook

Destaque

PF e Febraban deflagram ação contra quem cede contas para golpistas

Com a ajuda da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a Polícia Federal deflagrou hoje (2), em 13 estados e no Distrito Federal, a operação Não Seja um Laranja!

A finalidade é apreender bens de pessoas que cederam contas pessoais para receber recursos desviados de golpes e fraudes contra clientes bancários.

Segundo a Febraban, é a primeira vez que é feita uma operação de caráter nacional para coibir esse tipo de crime. A entidade acrescenta que as ações terão continuidade, e que elas decorrem do “Convênio Tentáculos”, um acordo de cooperação técnica assinado em 2017 pelas duas instituições, visando o combate a fraudes bancárias eletrônicas.

Crimes

“Entre as ações criminosas que serão punidas com a lei estão as fraudes através de transações digitais, além de golpes, como o da clonagem do WhatsApp, do falso funcionário de banco (quando o fraudador entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário de uma instituição financeira), e os golpes de phishing (quando criminosos tentam obter dados pessoais do usuário através de mensagens e e-mails falsos que o induzem a clicar em links suspeitos)”, explicou a federação.

A legislação brasileira prevê punições para casos de fraudes e golpes cometidos em meios eletrônicos, com penas agravadas para situações como invasão de dispositivo, furto qualificado e estelionato praticados em meio digital, “além de crimes cometidos com o uso de informação fornecida por alguém induzido ao erro pelas redes sociais, contatos telefônicos, mensagem ou e-mail fraudulento”, finalizou, em nota, a Febraban.

Segundo a Polícia Federal, as fraudes bancárias eletrônicas investigadas somam R$ 18,2 milhões. Ao todo, 43 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

“Nos últimos anos, a Polícia Federal detectou um aumento considerável da participação consciente de pessoas físicas em esquemas criminosos, para os quais emprestam suas contas bancárias, mediante pagamento. Este lucro fácil, com a cessão das contas para receber transações fraudulentas, possibilita a ocorrência de fraudes bancárias eletrônicas que vitimam inúmeros cidadãos”, explicou a PF.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA