Destaque

Polícia prende falso policial que exigia dinheiro de donos de transportadoras em Rondonópolis

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), prendeu em flagrante um homem que se passava por policial civil para aplicar golpes, exigindo dinheiro de donos de transportadoras do município.

O falso policial, de 34 anos, foi autuado em flagrante pelo crime de fraude eletrônica. Ele abordava as vítimas por meio de ligações telefônicas e mensagens por aplicativos com donos de transportadoras, exigindo dinheiro, para que as empresas não fossem alvos de supostas investigações.

No seu perfil no aplicativo de mensagens Whatsapp, o suspeito utilizava a imagem do brasão utilizada pela da Derf Rondonópolis, para se passar por policial.

As investigações iniciaram após os policiais da Derf Rondonópolis serem comunicados por uma das vítimas, que relatou que o suspeito entrou em contato pedindo dinheiro para que “aliviasse a barra” sobre uma investigação de roubo de carga, contra a sua transportadora.

Com base nas informações passadas, a equipe de investigadores junto ao Núcleo de Inteligência da delegacia conseguiu identificar o suspeito, que foi detido em um comércio de sua propriedade no bairro jardim Parque II. Com ele, foram apreendidos dois chips de celular que eram utilizados para contato com as vítimas.

Leia Também:  Plataforma de empresa desaba e dois trabalhadores são mortos em Rondonópolis

Diante dos fatos, o suspeito foi localizado e conduzido à Derf, onde após ser interrogado pelo delegado Fábio Nahas, foi autuado em flagrante pelo crime de fraude eletrônica. “A Polícia Civil alerta para este tipo de golpe e que as pessoas não transfiram dinheiro ou passem seus dados pessoas neste tipo de ligação”, disse o delegado.

Comentários Facebook

Agricultura

Safra de grãos deve subir 6,4% em 2022, estima Conab

A safra de grãos brasileira 2021/2022 deve alcançar 271,8 milhões de toneladas, um aumento de 6,4% na comparação com o ciclo anterior, informou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estimativa, que faz parte do 8º levantamento da safra divulgado pela empresa, aponta ainda um ganho de 2,5 milhões de toneladas quando comparado com a estimativa publicada no mês anterior.

Segundo a Conab, essa melhora na produção é explicada pela maior área plantada de milho de segunda safra, além do melhor desenvolvimento no final do ciclo das lavouras, sobretudo de arroz, milho e soja.

“Em final de abril, as culturas de primeira safra, estavam com a colheita praticamente finalizada, as de segunda safra, desde a fase de crescimento até o processo de colheita e as de terceira safra juntamente com as culturas de inverno, em fase inicial de plantio. Portanto, o resultado final do volume desta safra ainda depende do comportamento climático, fator preponderante para o desenvolvimento das culturas”, diz o levantamento.

A empresa informou que para o milho é esperada uma produção total 116,19 milhões de toneladas, elevação de 33,4% em comparação com a safra 2020/21. O levantamento mostra que a janela mais alongada para plantio da segunda safra somada às condições de mercado favoreceram o crescimento de área do cereal.

Leia Também:  Arena Pantanal recebe partida entre Cuiabá e Atlético-GO nesta quarta-feira (11)

Em relação ao arroz, a produção será menor ao que foi produzido na safra passada. A queda estimada é de 9,1%. Com isso a safra deve ficar em 10,7 milhões de toneladas, das quais 9,9 milhões são de cultivo irrigado e 0,8 milhões com o plantio sequeiro.

Segundo a Conab, a soja também terá uma queda na produção, estimada em 123,8 milhões de toneladas, uma redução de 10,4% em relação à safra anterior.

Colheita de algodão. Foto: Wenderson Araujo/Trilux
Colheita de algodão – CNA/ Wenderson Araujo/Trilux

Já as safras de feijão e de algodão terão aumento em relação à safra anterior. Na de feijão, a Conab estima alta de 8,14% em relação à safra anterior, com a produção ficando em 3,14 milhões.

A safra de algodão deve subir 19,5%, favorecida, em parte, pelas condições climáticas e pelo aumento na área plantada. A estimativa é de que a safra seja de 2,82 milhões de toneladas de pluma.

“A cotação da pluma em patamar elevado, que proporciona boa rentabilidade ao produtor, foi a causa primordial nessa elevação da área de plantio”, disse a Conab.

Já as culturas de inverno, como aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale, segundo a Conab, ainda apresentam uma plantação incipiente e devem somar 9,8 milhões de toneladas, das quais 8,1 milhões de trigo e 1,1 milhão de aveia.

Leia Também:  Ipea: Brasil tem 1,5 milhão de motoristas e entregadores de produtos

Área plantada

Em relação à área plantada, a Conab informou que a atual safra é estimada em 73,7 milhões de hectares, crescimento de 5,6% se comparada à safra 2020/21. Os maiores incrementos são observados na soja (4,4% ou 1,73 milhão de hectares), e no milho (9,4% ou 1,87 milhão de hectares).

A Conab informou também que não alterou as estimativas de importação de nenhum produto em relação ao levantamento anterior. Já a projeção para exportação de milho para 2022 subiu, passando de 37 milhões de toneladas para 38 milhões de toneladas.

Para os demais produtos, as estimativas de exportação foram mantidas: algodão em 2,05 milhões de toneladas, arroz em 1,3 milhão de toneladas, feijão em 200 mil toneladas e soja em 77 milhões de toneladas.

“No caso do trigo, as informações ainda são referentes à safra 2021, que possui o ano comercial de agosto de 2021 a julho de 2022. Para o cereal, a expectativa de venda para o mercado internacional segue em 3 milhões de toneladas”, disse a Conab.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA