Destaque

Polícia prende traficante que mantinha estufa de maconha em boca de fumo em Rondonópolis

O tráfico de drogas em uma boca de fumo onde era mantida uma estufa de maconha tipo “skunk” foi desarticulado pela Polícia Civil, na terça-feira (18.01), em mais uma ação de combate ao comércio de entorpecentes realizada pela Delegacia Especializada de Roubos Furtos (Derf) de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá).

Um homem, de 33 anos, que disse ser especialista na plantação de maconha foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

Durante investigações do tráfico de drogas em Rondonópolis, a equipe da Derf recebeu informações sobre uma boca de fumo, no bairro Sagrada Família, gerenciada por um integrante de uma facção criminosa. Em monitoramento do endereço, os policiais constataram a movimentação estranha de usuários, característica de ponto de venda de drogas.

Diante das evidências de tráfico de drogas no local, os policiais decidiram realizar a abordagem na casa, no momento em que um usuário chegou para adquirir entorpecentes. Em buscas na residência, os policiais encontraram um pote com diversas porções de maconha, já embaladas para venda, um prato cheio da mesma substância, balança de precisão e R$ 94 em dinheiro trocado, característico da atividade ilícita.

Leia Também:  Hospital pega fogo em Cuiabá; veja o vídeo

Em continuidade as buscas, foi localizado um recipiente com pólen da planta de maconha, tubos de ensaio e diversos vasos para plantas, além de uma estufa climatizada que ficava em cima da casa do suspeito, com 18 plantas de maconha, além de outros seis vasos somente com semente.

No local, havia também instrumentos para aferir qualidade da terra e para iluminação e ventilação das plantas. Questionado, o suspeito disse que tem a estufa há cinco anos e que se considera um especialista na plantação de maconha.

O suspeito possui passagens anteriores por crimes de furto, corrupção de menores e adulteração de sinal identificador de veículo. Diante dos fatos, o suspeito foi conduzido à Derf, onde após ser interrogado, foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Comentários Facebook

Agricultura

Safra de grãos deve subir 6,4% em 2022, estima Conab

A safra de grãos brasileira 2021/2022 deve alcançar 271,8 milhões de toneladas, um aumento de 6,4% na comparação com o ciclo anterior, informou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estimativa, que faz parte do 8º levantamento da safra divulgado pela empresa, aponta ainda um ganho de 2,5 milhões de toneladas quando comparado com a estimativa publicada no mês anterior.

Segundo a Conab, essa melhora na produção é explicada pela maior área plantada de milho de segunda safra, além do melhor desenvolvimento no final do ciclo das lavouras, sobretudo de arroz, milho e soja.

“Em final de abril, as culturas de primeira safra, estavam com a colheita praticamente finalizada, as de segunda safra, desde a fase de crescimento até o processo de colheita e as de terceira safra juntamente com as culturas de inverno, em fase inicial de plantio. Portanto, o resultado final do volume desta safra ainda depende do comportamento climático, fator preponderante para o desenvolvimento das culturas”, diz o levantamento.

A empresa informou que para o milho é esperada uma produção total 116,19 milhões de toneladas, elevação de 33,4% em comparação com a safra 2020/21. O levantamento mostra que a janela mais alongada para plantio da segunda safra somada às condições de mercado favoreceram o crescimento de área do cereal.

Leia Também:  Ministério orienta Procons a abrir processos contra Apple e Samsung

Em relação ao arroz, a produção será menor ao que foi produzido na safra passada. A queda estimada é de 9,1%. Com isso a safra deve ficar em 10,7 milhões de toneladas, das quais 9,9 milhões são de cultivo irrigado e 0,8 milhões com o plantio sequeiro.

Segundo a Conab, a soja também terá uma queda na produção, estimada em 123,8 milhões de toneladas, uma redução de 10,4% em relação à safra anterior.

Colheita de algodão. Foto: Wenderson Araujo/Trilux
Colheita de algodão – CNA/ Wenderson Araujo/Trilux

Já as safras de feijão e de algodão terão aumento em relação à safra anterior. Na de feijão, a Conab estima alta de 8,14% em relação à safra anterior, com a produção ficando em 3,14 milhões.

A safra de algodão deve subir 19,5%, favorecida, em parte, pelas condições climáticas e pelo aumento na área plantada. A estimativa é de que a safra seja de 2,82 milhões de toneladas de pluma.

“A cotação da pluma em patamar elevado, que proporciona boa rentabilidade ao produtor, foi a causa primordial nessa elevação da área de plantio”, disse a Conab.

Já as culturas de inverno, como aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale, segundo a Conab, ainda apresentam uma plantação incipiente e devem somar 9,8 milhões de toneladas, das quais 8,1 milhões de trigo e 1,1 milhão de aveia.

Leia Também:  Agressor é preso em flagrante após manter ex-mulher em cárcere privado e cometer abuso sexual

Área plantada

Em relação à área plantada, a Conab informou que a atual safra é estimada em 73,7 milhões de hectares, crescimento de 5,6% se comparada à safra 2020/21. Os maiores incrementos são observados na soja (4,4% ou 1,73 milhão de hectares), e no milho (9,4% ou 1,87 milhão de hectares).

A Conab informou também que não alterou as estimativas de importação de nenhum produto em relação ao levantamento anterior. Já a projeção para exportação de milho para 2022 subiu, passando de 37 milhões de toneladas para 38 milhões de toneladas.

Para os demais produtos, as estimativas de exportação foram mantidas: algodão em 2,05 milhões de toneladas, arroz em 1,3 milhão de toneladas, feijão em 200 mil toneladas e soja em 77 milhões de toneladas.

“No caso do trigo, as informações ainda são referentes à safra 2021, que possui o ano comercial de agosto de 2021 a julho de 2022. Para o cereal, a expectativa de venda para o mercado internacional segue em 3 milhões de toneladas”, disse a Conab.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA