Destaque

Politec inicia coleta de DNA de familiares de pessoas desaparecidas

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) iniciou, nesta segunda-feira (14.06), a coleta de material genético de familiares de pessoas desaparecidas. A ação faz parte da Campanha Nacional de Desaparecidos, de iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública, através da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

A Campanha visa a ampliação do Banco Nacional de Perfis Genéticos que, segundo a Coordenadora de Perícias em Biologia Molecular, Késia Renata Lopes Melo, é uma importante ferramenta que vai possibilitar que as famílias deem um fim à angústia de ter um ente desaparecido.

A coordenadora considera que a campanha nacional é um marco na busca de pessoas desaparecidas. “Foi estabelecido um fluxo para a coleta de DNA dos familiares. Após a coleta o laboratório de DNA da Politec processará estas amostras e inserir os perfis genéticos no Banco de Perfis Genéticos do estado confrontando com os perfis genéticos de cadáveres e ossadas não identificadas das unidades de medicina legal de Mato Grosso e de todos os laboratórios que fazem parte da RIBPG (Rede Integrada de Banco de Perfis Genéticos). A campanha irá ajudar a disseminar o poder dessa ferramenta tecnológica ainda pouco utilizada para este fim”, citou.

Leia Também:  Classificação de “risco baixo” faz SMS desativar parte do Projeto Sentinela para triagem da Covid-19

Qualquer pessoa com um ente desaparecido, de até 1º grau (pais, filhos ou irmãos), poderá participar da campanha. Para isso, será necessário registrar um boletim de ocorrência, em seguida a delegacia encaminhará o familiar a um dos 17 postos de coleta espalhados por todo o estado de Mato Grosso. (Veja lista completa)

A coleta é simples e indolor, feita via cavidade oral, com uma espécie de cotonete, que é passado na parte interna das bochechas da pessoa. Os materiais biológicos coletados serão processados e inseridos no Banco Nacional de Perfis Genéticos. Caso seja identificado um possível parentesco com os dados de alguma pessoa falecida, os peritos informarão a Delegacia ou a Diretoria Metropolitana de Medicina Legal (DMML), que entrará em contato com os familiares para que sejam realizados os procedimentos legais.

Apesar do mutirão da Campanha ocorrer até a próxima sexta-feira (28.06), as coletas continuarão sendo realizadas tanto em Cuiabá, quanto no interior do estado, mediante agendamento realizado pela Polícia Civil.

Leia Também:  Câncer já é a principal causa de morte de crianças e adolescentes

*Com supervisão de Tita Mara Teixeira

Comentários Facebook

Destaque

Oito pessoas são presas durante Operação Integrada de Lei Seca

Oito pessoas foram presas na 46ª edição da Operação Integrada de Lei Seca em Cuiabá. As abordagens iniciaram por volta 23h30 de sexta-feira (17) na Avenida Getúlio Vargas e 100 veículos foram fiscalizados e aplicados 109 testes de alcoolemia.

Foram aplicados 11 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), uma pelo motorista entregar o veículo a uma pessoa sem carteira nacional de habilitação, violando o artigo 310 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB) e outras 10 por dirigirem sem habilitação.

Ao todo, foram aplicados 65 Autos de Infração de Trânsito, 21 por dirigirem sob efeito do álcool, 11 pela recusa do teste de alcoolemia, os 10 sem CNH, 15 por dirigirem veículo sem registro ou não licenciado e 8 por outros motivos.

Foram 44 veículos removidos, sendo 39 carros e 5 motocicletas. Vinte e quatro CNH foram recolhidas e um documento do veículo.

Em Cuiabá, a operação Lei Seca foi realizada pelo Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp), Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), Detran, Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) e a policiais penais do Serviço de Operações Especiais Penitenciárias (SOE).

Leia Também:  Mais 800 quilos de entorpecente são incinerados em Rondonópolis

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA