Mato Grosso

Produtores recuperam mil hectares de pastagem degradada com recursos do BID

O Projeto Rural Sustentável (PRS), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), executado pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), nos municípios de Juína (735 km a Noroeste de Cuiabá)  e Nova Canaã do Norte (699 km ao Norte da Capital), já recuperou e reformou mais de mil hectares de áreas de pastagens degradadas. O projeto conta com a participação de 57 produtores rurais que recebem um subsidio ou premiação no valor de  R$ 500,00 por hectare, para compra de calcário, adubo e sementes.

A coordenadora estadual do PRS e pesquisadora da Empaer, Marilene de Moura Alves, fala que a finalidade é melhorar as práticas de uso da terra, manejo florestal e a conservação de Áreas de Proteção Permanente (APP) pelos produtores rurais. O Projeto ofereceu a oportunidade de ganhos financeiros para os produtores rurais e empresas de assistência técnica, além da possibilidade de adquirir conhecimentos relacionados à gestão sustentável da propriedade rural e às tecnologias de baixa emissão de carbono.

De acordo com a pesquisadora Marilene, os produtores rurais vão receber do BID um total de R$ 533 mil para recuperação de pastagens e áreas degradadas. A assistência técnica vai receber R$ 171 mil para reforma de escritórios, compra de veículos e equipamentos de informática. “O projeto incentiva o desenvolvimento rural sustentável e a conservação da biodiversidade, mesmo tempo que contribui no cumprimento dos objetivos do Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono”, enfatiza.

Leia Também:  Jovem de 16 anos tenta atravessar rio e morre afogado

A médica veterinária da Empaer, Tatiany Fernandes, comenta que foi realizado um levantamento nas áreas dos produtores rurais para verificar quais seriam os beneficiários. Em Nova Canaã do Norte foram contemplados no Projeto 40 produtores rurais, que já recuperaram uma área de 807 hectares. Em Juína, foram recuperados 200 hectares com a participação de 17 produtores. Ela explica que esse trabalho começou com a análise de solo e recomendação técnica especifica para cada produtor.

Segundo Tatiany, o trabalho de recuperação foi iniciado no mês de setembro de 2017, e já foram recuperados 1.007 hectares, em torno de 80% das áreas de pastagens nos municípios. Essa tecnologia aplicada tem como objetivo reverter a área com a melhoria da pastagem e aumentar o número de animais no pasto e conseqüentemente, melhorar a rentabilidade do agricultor.

No assentamento Tapaiuna, localizado no município de Nova Canaã, o produtor rural, Davi Carlos Raimundo possui uma área com 50 hectares de terra e por meio do Projeto, recuperou 23 hectares de pastagem. Ele descreve que o pasto estava há mais de dois anos em condições impróprias para criação de animais e hoje, possui 60 vacas de corte e leite.  “Com essas mudanças, agora acredito que terei lucro e renda. Estou muito satisfeito”, declara o produtor.

Leia Também:  Médica veterinária morre em grave acidente na BR-163

O Projeto Rural Sustentável é fruto de uma parceria entre o governo do Reino Unido, do governo do Brasil e  o BID. Esta Cooperação Técnica é financiada pelo Fundo Internacional para o Clima (International Climate Fund – ICF) do Ministério da Agricultura, da Alimentação, da Pesca e dos Assuntos Rurais do Governo Britânico (DEFRA), tendo como beneficiário o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor Rural e do Cooperativismo.

O trabalho vem sendo realizado pelos extensionistas da Empaer, Cícero Pereira do Nascimento, Pamela Barbosa Rúbio, Claudir José Rubenich, Neucir Luis Paravisi e Tatiany.

Comentários Facebook

Agricultura

Mulheres líderes do agro realizam visita técnica à Brasília

Lideranças femininas do setor agropecuário de Mato Grosso embarcaram hoje (10.08) para uma visita técnica em Brasília. Ao longo dos próximos dias, um grupo com 40 mulheres visitará a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), a sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Instituto Pensar Agro (IPA), entre outras instituições na capital federal.

As atividades fazem parte da programação da Academia de Liderança – Mulheres Líderes do Agro, a primeira organizada pelo Senar-MT exclusivamente ao público feminino. Ao todo, serão três encontros, de julho a setembro. Nesta segunda etapa, que ocorre em Brasília, as mulheres conhecerão mais sobre a atuação das instituições visitadas, seus representantes e a estrutura dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

A Academia de Liderança reúne produtoras rurais, lideranças sindicais e mulheres que trabalham no setor agropecuário. O objetivo é formar líderes que possam atuar nas mais diversas esferas que envolvem a agropecuária no estado e impulsionar ainda mais o seu desenvolvimento.

No primeiro módulo, que ocorreu em Cuiabá, as participantes aprenderam mais sobre atuação política no agro e autoconhecimento e propósito. Além disso, tiveram a oportunidade de conhecer as áreas de atuação de cada uma das instituições do Sistema Famato: o Senar-MT, Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Instituto Agrihub, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e os Sindicatos Rurais.

Leia Também:  Jovem de 16 anos tenta atravessar rio e morre afogado

Essa é a primeira visita técnica da Academia de Liderança, após o início da pandemia de Covid-19. “Esse momento foi muito aguardado, a pandemia adiou o nosso projeto, mas finalmente conseguimos realizá-lo e estamos muito felizes em poder reunir e fortalecer as mulheres do nosso setor”, afirmou o superintendente do Senar-MT, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA