Mato Grosso

Projeto emprega mão de obra de reeducandos em limpeza e reforma de prédios públicos

Desde 2017, um grupo de reeducandos da unidade prisional masculina de Cáceres faz a limpeza e pintura de prédios públicos do município, por meio do Projeto Escola Limpa. Escolas, creches, universidade e unidades das forças de segurança pública já receberam os serviços prestados pelos custodiados, que incluem também a poda de árvores e pequenos serviços de elétrica. No ano passado, eles fizeram a limpeza e pintura de cinco escolas do município e estaduais, além da limpeza de espaços públicos como praças de Cáceres e de prédios como do Centro de Especialidades Odontológicas, Delegacia de Fronteira, Corpo de Bombeiros, Centro Socioeducativo e Ciretran.

Para a realização dos serviços externos, os reeducandos são previamente selecionados por uma equipe multidisciplinar da unidade prisional. Depois, a seleção é remetida ao juiz da Execução Penal, que é quem autoriza a saída dos reeducandos. 

“Com esse projeto mantemos os reeducandos em atividade, buscamos trabalho para que eles possam se ocupar e colaboramos com os órgãos públicos que necessitam dessa prestação de serviço, ou seja, estamos colaborando com a sociedade”, disse o diretor Welton Ribeiro.

Leia Também:  TCE rejeita denúncia e libera prefeitura a gastar R$ 1,8 milhão com insulfilm

Além dos serviços em prédios públicos, os reeducandos integraram o mutirão de limpeza do rio Paraguai, que é realizado todos os anos. Pela segunda vez, o grupo de custodiados, junto com outros voluntários do município, recolheu toneladas de lixo lançadas no rio, como pneus, móveis, caixas d’água, tambores, garrafas de plástico, entre outros.

Um dos locais que receberam os serviços dos reeducandos foi o campus Jane Vanini, da Uniersidade Estadual de Mato Grosso. Os serviços no campus da Unemat incluíram limpeza, pintura, cobertura com sobras de brita nos estacionamentos e na área aos fundos dos prédios e estacionamento de funcionários, podas das árvores do pátio, jardinagem nos canteiros e o plantio de arbustosno campus, além da recuperação de luminárias e a pintura de postes e calçadas.  Foram também reformados ou substituídos os bancos de concreto e as lixeiras, uma parceria com comerciantes da cidade.Trabalho extramuro 

Em Cáceres, os presos da unidade masculina atuam em diversas frentes de trabalho extramuros, como serviços para a prefeitura, Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, Fórum municipal, canil da Fronteira e Polícia Ambiental.

Leia Também:  Sine MT oferta 2,9 mil vagas de emprego em 27 municípios

Atualmente, 46 deles trabalham de segunda a sexta-feira nas autarquias Multi Park, que faz a coleta de lixo na cidade, empresas Eletroconstro e GM 10, responsáveis pela limpeza das ruas e a concessionária Águas do Pantanal, que presta serviço de água e esgoto na cidade. 

Segundo Welton, são liberados para a ação os internos que já cumpriram 1/6 da pena e que têm bom comportamento. “Além disso, eles ainda recebem remição da pena, conforme prevê a Lei de Execução Penal que determina que a cada três dias, um dia é descontado na pena recebida”, informa o diretor que acrescenta dizendo que os internos gostam desse trabalho porque as famílias deles se sentem orgulhosas pelos serviços que estão prestando à sociedade.

Comentários Facebook

Agricultura

Mulheres líderes do agro realizam visita técnica à Brasília

Lideranças femininas do setor agropecuário de Mato Grosso embarcaram hoje (10.08) para uma visita técnica em Brasília. Ao longo dos próximos dias, um grupo com 40 mulheres visitará a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), a sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Instituto Pensar Agro (IPA), entre outras instituições na capital federal.

As atividades fazem parte da programação da Academia de Liderança – Mulheres Líderes do Agro, a primeira organizada pelo Senar-MT exclusivamente ao público feminino. Ao todo, serão três encontros, de julho a setembro. Nesta segunda etapa, que ocorre em Brasília, as mulheres conhecerão mais sobre a atuação das instituições visitadas, seus representantes e a estrutura dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

A Academia de Liderança reúne produtoras rurais, lideranças sindicais e mulheres que trabalham no setor agropecuário. O objetivo é formar líderes que possam atuar nas mais diversas esferas que envolvem a agropecuária no estado e impulsionar ainda mais o seu desenvolvimento.

No primeiro módulo, que ocorreu em Cuiabá, as participantes aprenderam mais sobre atuação política no agro e autoconhecimento e propósito. Além disso, tiveram a oportunidade de conhecer as áreas de atuação de cada uma das instituições do Sistema Famato: o Senar-MT, Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Instituto Agrihub, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e os Sindicatos Rurais.

Leia Também:  Jovem de 16 anos tenta atravessar rio e morre afogado

Essa é a primeira visita técnica da Academia de Liderança, após o início da pandemia de Covid-19. “Esse momento foi muito aguardado, a pandemia adiou o nosso projeto, mas finalmente conseguimos realizá-lo e estamos muito felizes em poder reunir e fortalecer as mulheres do nosso setor”, afirmou o superintendente do Senar-MT, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA