Mato Grosso

Reforma administrativa é sancionada; veja como ficou a estrutura do Governo

O governador Mauro Mendes sancionou nesta terça-feira (29.01) a reforma administrativa do Governo de Mato Grosso. A Lei Complementar 612/2019 extingue nove secretarias, deixando apenas 16 órgãos de primeiro escalão na administração direta. O Governo também está autorizado a extinguir cinco empresas públicas e de economia mista.

Pela nova lei, estão extintos o Gabinete de Assuntos estratégicos (GAE), Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção (GTCC), Gabinete de Comunicação (Gcom), Gabinete de Desenvolvimento Regional (GDR), Casa Militar, Gabinete de Governo (Gabgov), Secretaria das Cidades (Secid), Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e Secretaria de Planejamento (Seplan).

A Agência de Desenvolvimento Metropolitano da Região do Vale do Rio Cuiabá (Agem-VRC), órgão da administração pública indireta, também está extinta.

Todas as funções e serviços das pastas extintas serão absorvidos pelas demais secretarias, a exemplo do Gabinete de Comunicação, que passa a ser uma secretaria adjunta, e da Casa Militar, que será revertida em Gabinete Militar, vinculado à Governadoria.

A funções da Secretaria das Cidades foram incorporadas à Secretaria de Infraestrutura e as secretarias de Planejamento e Gestão foram integradas. Já os trabalhos da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos foram divididos entre a Secretaria de Segurança Pública e a Secretaria de Trabalho, Emprego e Assistência Social.

Os servidores de carreira das secretarias atingidas serão redistribuídos e remanejados para outras pastas, respeitando o Estatuto do Servidor Público e legislações de leis de carreira.

A lei traz ainda as atribuições de cada secretaria. Serão publicados decretos regulamentando os atos da reforma administrativa, prevendo prazos e condições para transição, movimentação de servidores e, conforme o caso, a manutenção da competência para conclusão de todos os processos pendentes.

Leia Também:  Passageira de ônibus é presa novamente transportando drogas

CIRA

A Lei Complementar 612 também institui em caráter permanente o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), responsável por articular a cooperação entre órgãos e entidades na recuperação de dinheiro público atingido por atos de sonegação fiscal, fraude e corrupção.

Pacto Por Mato Grosso

A reforma administrativa é um dos projetos apresentados pela atual gestão que integra o pacote de ações “Pacto por Mato Grosso”, que visa reequilibrar as contas públicas do Estado. Também foram aprovados pela Assembleia Legislativa e sancionados pelo governador o novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab); a alteração de competências no âmbito do MT Prev; e a lei que prevê os critérios para a concessão da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores públicos.

 

Veja a nova estrutura do Governo de Mato Grosso:

Administração Pública Direta

1.       Governadoria;

2.       Casa Civil;

3.       Secretaria de Estado de Agricultura Familiar – SEAF;

4.       Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania – SETASC;

5.       Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação – SECITECI

6.       Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL;

7.       Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico – SEDEC;

8.       Secretaria de Estado de Educação – SEDUC;

9.       Secretaria de Estado de Fazenda – SEFAZ;

10.   Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística – SINFRA;

11.   Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA;

12.   Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG;

Leia Também:  Mãe chega em casa e encontra homem nu deitado ao lado da filha; suspeito foi detido por tentativa de estupro

13.   Secretaria de Estado de Saúde – SES;

14.   Secretaria de Estado de Segurança Pública – SESP;

15.   Procuradoria Geral do Estado;

16.   Controladoria Geral do Estado.

Administração Pública Indireta

Autarquias:

1. Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado – MATO GROSSO SAÚDE;

2. Mato Grosso Previdência – MTPREV;

3. Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso – INTERMAT;

4. Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso – INDEA/MT;

5. Junta Comercial do Estado de Mato Grosso – JUCEMAT;

6. Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso – IPEM/MT;

7. Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN/MT;

8. Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados – AGER;

Fundações Públicas:

1. Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso – FAPEMAT;

2. Fundação Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT;

3. Fundação Nova Chance – FUNAC.

Sociedades de Economia Mista:

1. MT Participações e Projetos S.A- MT-PAR;

2. Companhia Mato-grossense de Mineração – METAMAT;

3. Companhia Mato-grossense de Gás – MT Gás;

4. Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso S.A – DESENVOLVE MT;

5. Companhia de Saneamento do Estado de Mato Grosso – SANEMAT, em liquidação;

6. Central de Abastecimento do Estado de Mato Grosso – CEASA/MT.

Empresas Públicas:

1. Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação – MTI;

2. Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural – EMPAER.

Comentários Facebook

Agricultura

Mulheres líderes do agro realizam visita técnica à Brasília

Lideranças femininas do setor agropecuário de Mato Grosso embarcaram hoje (10.08) para uma visita técnica em Brasília. Ao longo dos próximos dias, um grupo com 40 mulheres visitará a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), a sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Instituto Pensar Agro (IPA), entre outras instituições na capital federal.

As atividades fazem parte da programação da Academia de Liderança – Mulheres Líderes do Agro, a primeira organizada pelo Senar-MT exclusivamente ao público feminino. Ao todo, serão três encontros, de julho a setembro. Nesta segunda etapa, que ocorre em Brasília, as mulheres conhecerão mais sobre a atuação das instituições visitadas, seus representantes e a estrutura dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

A Academia de Liderança reúne produtoras rurais, lideranças sindicais e mulheres que trabalham no setor agropecuário. O objetivo é formar líderes que possam atuar nas mais diversas esferas que envolvem a agropecuária no estado e impulsionar ainda mais o seu desenvolvimento.

No primeiro módulo, que ocorreu em Cuiabá, as participantes aprenderam mais sobre atuação política no agro e autoconhecimento e propósito. Além disso, tiveram a oportunidade de conhecer as áreas de atuação de cada uma das instituições do Sistema Famato: o Senar-MT, Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Instituto Agrihub, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e os Sindicatos Rurais.

Leia Também:  TCE rejeita denúncia e libera prefeitura a gastar R$ 1,8 milhão com insulfilm

Essa é a primeira visita técnica da Academia de Liderança, após o início da pandemia de Covid-19. “Esse momento foi muito aguardado, a pandemia adiou o nosso projeto, mas finalmente conseguimos realizá-lo e estamos muito felizes em poder reunir e fortalecer as mulheres do nosso setor”, afirmou o superintendente do Senar-MT, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA