Responsável por atropelamento de 18 pessoas em Copacabana vira réu por homicídio


Motorista que causou o atropelamento na Praia de Copacabana não cumpriu a exigência de devolução da habilitação
Reprodução

Motorista que causou o atropelamento na Praia de Copacabana não cumpriu a exigência de devolução da habilitação

Quase seis meses após o atropelamento na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro
, que atingiu 18 pessoas e matou duas, a Justiça do Rio aceitou a denúncia contra Antônio de Almeida Anaquim. O motorista vai responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal culposa.

As vítimas fatais do atropelamento na Praia de Copacabana
, em janeiro deste ano, foram um bebê de oito meses e o australiano Christopher John Gott, que estava no calçadão.

Na decisão que acatou a denúncia contra Anaquim, a juíza Alessandra de Araújo Bilac, da 40ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça, escreveu “é certo que o denunciado agiu de forma negligente”, uma vez que ele omitiu ao Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran-RJ) seus problemas neurológicos.

Antônio Anaquim agora será citado e deverá apresentar defesa no prazo de 10 dias após a citação pela Justiça.

Motorista tinha epilepsia


Motorista vai responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal culposa
Reprodução/ Twitter/ @PMERJ

Motorista vai responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal culposa

Em janeiro, o Detran-RJ informou que o motorista responsável pelo acidente negou durante seu exame de validação médica da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ter qualquer doença neurológica, inclusive epilepsia.

A revelação oficial do Detran veio a público no mesmo dia em que Antonio Almeida Anaquim afirmou, em depoimento à polícia, que foi um ataque de epilepsia
que o fez perder o controle do carro, invadir o calçadão de Copacabana, cruzar a ciclovia e acabar com o carro na areia da praia.

Leia também: Morre australiano condenado por pedofilia que foi atropelado em Copacabana

O órgão informou ainda que pessoas com epilepsia podem ter carteira de habilitação, mas precisam passar por uma avaliação neurológica. Quando apto para dirigir, o exame médico terá validade menor, de acordo com a avaliação médica, com enquadramento na categoria B, válida apenas para dirigir carros.

O resultado de um exame toxicológico feito pelo Instituto Médico-Legal (IML) revelou que Anaquim não estava alcoolizado.

Atropelamento na Praia de Copacabana

O motorista dirigia pela Avenida Atlântica e, por volta das 20h30, causou o acidente com seu Hyundai i30 preto. No veículo, policiais encontraram medicamentos utilizados para tratar a doença.

De acordo com o Detran, Anaquim estava com a carteira de habilitação suspensa

desde maio de 2014. Ele acumulou 62 pontos por infrações e 14 multas nos últimos 5 anos. Entre as faltas, estão infrações por alta velocidade, parar em local exclusivo para deficiente e avançar o sinal vermelho.

O motorista que causou o atropelamento na Praia de Copacabana
, de acordo com o Detran, não cumpriu a exigência de devolução da habilitação. Por ter cometido crime de trânsito e dirigido com a carteira suspensa, ele terá sua documentação cassada.

Comentários Facebook

Brasil

Petrobras reduz preço do diesel às distribuidoras nesta sexta-feira

A Petrobras vai reduzir em R$ 0,27 por litro o preço médio de venda de diesel A para as distribuidoras. O valor passará a ser de R$ 3,78 por litro já a partir desta sexta-feira (8). A medida foi anunciada nesta quinta-feira (7) pela estatal. No ano, a redução acumulada soma R$ 0,71 por litro, o equivalente a 15,8%.

De acordo com a Petrobras, o ajuste é resultado da análise dos fundamentos dos mercados externo e interno, frente à estratégia comercial da companhia, implementada em maio de 2023, em substituição à política de preços anterior, e que “passou a incorporar parâmetros que refletem as melhores condições de refino e logística da Petrobras na sua precificação”.

Preço médio

Ao considerar a mistura obrigatória de 88% de diesel A e 12% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor cairá R$ 0,24 por litro e passará a ser, em média, R$ 3,33 a cada litro vendido na bomba. Com isso, o preço médio do diesel A S10 nas bombas poderá atingir valor de R$ 5,92 por litro, considerando que o Levantamento de Preços de Combustíveis da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para a semana de 26 de novembro a 2 de dezembro indicou valor médio de R$ 6,16 por litro.

A Petrobras lembra que o valor cobrado ao consumidor final no posto é afetado por outros fatores, como impostos, mistura de biocombustíveis e margens de lucro da distribuição e da revenda. “Daí, esta estimativa ter propósito meramente referencial, mantidas constantes as demais parcelas que compuseram os preços ao consumidor naquele período”.

A companhia destacou, também, que cabe às autoridades competentes realizar ações de fiscalização, autuação e penalização de práticas abusivas ou lesivas ao consumidor.

Gasolina

No momento, a Petrobras está mantendo estáveis seus preços de venda de gasolina às distribuidoras, tendo em vista o último movimento realizado em 21 de outubro, de redução de R$ 0,12 por litro. No ano, os preços de gasolina A da Petrobras para as distribuidoras acumulam queda de R$ 0,27 por litro, o equivalente a 8,7%.

Para o GLP (gás de cozinha), os preços de venda às distribuidoras permanecem estáveis desde o dia 1º de julho. No ano, os preços do gás de cozinha para as distribuidoras acumulam retração equivalente a R$ 10,40 por botijão de 13 kg, ou 24,7%.

A companhia reiterou que na formação de seus preços “busca evitar o repasse da volatilidade conjuntural do mercado internacional e da taxa de câmbio, ao passo que preserva um ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente”.

Comentários Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA